conecte-se conosco


Geral - ES1.com.br

Muro desaba e quase mata duas pessoas

Publicado em

Um muro de arrimo desabou na tarde desta quarta-feira, 21, na rua Goiânia, no bairro Colina em Barra de São Francisco, e quase provocou uma tragédia. Dois irmãos, moradores da casa onde estava sendo feita uma escavação, na margem direita da rua, sofreram escoriações e um deles chegou a ser parcialmente soterrado pela terra que desceu para o local da escavação.

O morador, que se identificou como Jô, disse que eles decidiram fazer uma ampliação na casa e, para isso, foi preciso retirar a escada de acesso à rua e escavar rente ao muro de pedra que protegia a casa. No entanto, os moradores não consultaram a Defesa Civil e a Secretaria Municipal de Obras para fazer o serviço.

“Foi só o tempo de minha mulher gritar que o barranco estava cedendo e nós saímos correndo, mas eu acabei sendo atingido e ficando com as pernas soterradas, enquanto meu irmão, sofreu pequenos ferimentos. Foi um milagre a gente escapar”, afirma Jô.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Renato Pinto Rosa, a intenção dos moradores era construir outro muro de arrimo junto ao que já estava pronto, mas ao escavarem muito rente ao barranco, a terra não aguentou o peso das pedras acima dela e desmoronou.

leia também:  Desemprego fica em 11,6% em dezembro, com 12,2 milhões de desocupados

O acidente também provocou a interdição da referida rua, que fica abaixo da que dá acesso ao posto de saúde do bairro para trânsito de veículos leves e pesados. A rua foi interditada e somente motocicletas ainda estão autorizadas a circular no local.

Ontem a Secretaria Municipal de Obras esteve no local avaliando os danos e estudando como fazer para reconstruir o muro de arrimo e a parte da rua que desmoronou.

 


camera_enhance Rua ficou interditada após desmoronamento no bairro Colina (Crédito: Divulgação)


Editora Hoje

Geral - ES1.com.br

Bacia do Rio Santa Maria recebe mais de R$35 milhões para restauração florestal

Investimento contempla mais de mil hectares em três municípios do Espírito Santo, outros R$135 milhões foram destinados a Baixo Guandu

A bacia do rio Santa Maria do Doce receberá mais de R$35 milhões para ações de restauração florestal em cerca de mil hectares nos municípios capixabas de Colatina, São Roque do Canaã e Santa Teresa. O investimento previsto, via editais, é destinado à contratação de serviços técnicos, científicos e operacionais.

O diretor-presidente da Fundação Renova, Andre de Freitas, assinou no dia 2 de junho, em Colatina, o Termo de Compromisso que garante o repasse dos recursos. O evento contou com representantes dos Comitês das Bacias Hidrográficas do Rio Santa Maria do Doce e do Rio Doce e do poder público estadual e municipal.

Total de investimentos

Ao todo, a Fundação Renova vai investir, por meio de editais, cerca de R$540 milhões para promover a restauração florestal de, aproximadamente, 16 mil hectares.

Segundo Andre de Freitas, cerca de R$106 milhões serão destinados à recuperação de 420 nascentes e 2,8 mil hectares que, além da bacia do rio Santa Maria do Doce (ES), incluem as bacias do rio Piranga (MG) e Corrente Grande (MG). “Em maio, firmamos o investimento de R$135 milhões na restauração florestal em 5 mil hectares da bacia do rio Guandu, no Espírito Santo. Agora, anunciamos esse repasse que beneficiará diretamente mais três municípios capixabas”, afirma.

leia também:  Mais de dois mil profissionais da Rede Estadual participam de consulta étnico-racial

Esses valores fazem parte do montante de R$1,7 bilhão, que será empregado no cumprimento de parte da meta socioambiental de recuperar 40 mil hectares de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e de Recarga Hídrica (ARH), e de 5 mil nascentes ao longo de dez anos.

Editais

A Fundação Renova mantém contratos com 12 parceiros para restauração florestal de 15.500 hectares. Ao oferecer serviços técnicos, científicos e operacionais, as empresas ou consórcios contratados se tornam responsáveis pela execução das ações estabelecidas pelo Programa de Recuperação de APPs e Áreas de Recarga da Bacia Hidrográfica do Rio Doce e Programa de Recuperação de Nascentes.

Produtores rurais

Além dos editais de contratação de fornecedores, a Fundação Renova mantém um edital permanente para produtores e proprietários rurais de 66 municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo. O Edital de Adesão de Produtores Rurais aos Programas de Restauração Florestal é voltado para quem deseja colaborar com o processo de restauração florestal em APPs, ARHs e nascentes em suas propriedades. Até maio mais de 1.600 inscrições haviam sido feitas, totalizando uma área de aproximadamente 23 mil hectares autodeclarados.

leia também:  Selecionados no Centelha ES já podem acessar capacitações on-line e enviar nova proposta

Segundo o coordenador de Restauração Florestal, José Almir Jacomelli, a Fundação Renova fornece os insumos necessários para o cercamento das áreas com projetos de restauração florestal, manutenção, assistência técnica operacional e apoio na inscrição da propriedade no Cadastro Ambiental Rural (CAR). “O produtor rural fica responsável por manter a área protegida, podendo executar o cercamento e mantê-lo por um prazo de cinco anos, bem como optar ou não pela execução das práticas de restauração florestal”, destaca.

Fonte: Fundação Renova

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2