conecte-se conosco


Economia - ES1.com.br

Venda de produtos aumenta até 45% durante a Semana Santa

Publicado em

Com a proximidade da Semana Santa, o mercado das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES) já se prepara para a venda de alguns produtos consumidos no período, como é o caso dos pescados, repolho, palmito e ovos.
A comercialização estimada para esta semana é de um aumento de até 45% nas vendas dos produtos que fazem parte da mesa dos capixabas na Páscoa. 
Segundo o presidente da Associação de Pescados Atacadistas da Ceasa – Apapes, Sérgio Rogério Gonçalves, a venda dos pescados chega a dobrar neste período. “O pescado tem bastante saída, conseguimos vender muito bem. Os produtos que sobressaem são os peixes, como o dourado, o badejo, a sardinha, a corvina e o dentão, além de outros produtos, como o camarão e o siri”.
Outro peixe muito consumido e que pode ser encontrado nas lojas atacadistas da Ceasa custando de R$ 25 a R$ 32, o quilo, é o bacalhau tipo saithe, que possui maior saída no mercado. Outras variedades de bacalhau também podem ser encontradas no local.
O palmito, repolho e ovos também estão na lista dos produtos com maior saída no período da Páscoa, podendo ser encontrados na Ceasa capixaba com preço mais acessível. A bandeja com um quilo de palmito já limpo e descascado está sendo vendido a R$ 10. Já a peça inteira varia entre R$ 15 e R$ 25. O quilo do repolho custa, em média, R$ 0,56, e os ovos custam R$ 90 a caixa com 30 dúzias.
De acordo com o diretor técnico operacional da Ceasa, Henrique Casamata, este período é favorável para os produtores rurais e para o mercado de peixe. “A venda de alguns produtos, principalmente os que são utilizados para o preparo da nossa famosa torta capixaba, tem um aumento muito grande neste período, com isso, as vendas serão satisfatórias”.
Outros condimentos usados no preparo das receitas e da torta capixaba, como a cebola, o coentro e o tomate, também podem ser adquiridos na Ceasa com o preço mais baixo. 
A lista de produtos e preços fica disponível no site www.ceasa.es.gov.br.

leia também:  Cidadão pode verificar valores a receber de bancos no Registrato

Folha Vitória

Economia - ES1.com.br

Brasil e Argentina concluem acordo de homologação de veículos

O Brasil e a Argentina concluíram a negociação de um acordo para reconhecerem mutuamente as normas de segurança de veículos, anunciaram hoje (30) à noite os ministérios da Economia, da Infraestrutura e das Relações Exteriores. O acordo será assinado em julho por autoridades dos dois países.

Por meio da homologação veicular, os órgãos máximos de trânsito atestam a conformidade dos veículos a normas de segurança e autorizam a circulação no país. Com o acordo, o Brasil reconhecerá a aprovação de um modelo de veículo produzido na Argentina, com o país vizinho fazendo o mesmo com os veículos montados no Brasil.

O acordo, informou o comunicado, facilitará o comércio de veículos entre Brasil e Argentina, reduzindo custos e prazos. “O reconhecimento mútuo de homologações veiculares favorece o desenvolvimento do setor automotivo nos dois países e o incremento dos fluxos de comércio, além de conferir mais previsibilidade e segurança jurídica para os investimentos”, destacou a nota.

Com a homologação, o governo brasileiro reconhecerá a Licença para Configuração de Modelo emitida pelo Ministério de Desenvolvimento Produtivo da Argentina. O país vizinho reconhecerá o Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito, emitido pela Secretaria Nacional de Trânsito, do Ministério da Infraestrutura brasileiro.

leia também:  Trabalhadores nascidos em novembro podem sacar até R$ 1 mil no FGTS

Num primeiro momento, o acordo cobrirá cerca de 80% dos itens de segurança de veículos leves de passageiro e leves de carga (categorias M1 e N1, respectivamente). Está prevista a ampliação de itens e a inclusão de novas categorias de veículos, como ônibus e caminhões. Os dois governos pretendem estender o acordo às autopeças.

“O acordo vai ao encontro dos interesses dos setores produtivos dos dois países, que já destacaram em outras oportunidades os benefícios de uma aproximação ainda maior entre Brasil e Argentina, destacando-se a criação de oportunidade para ganhos de competitividade e a otimização de custos e investimento, num setor que possui uma participação significativa no comércio bilateral”, concluiu a nota conjunta.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Economia

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!