conecte-se conosco


Saúde - ES1.com.br

Tipo sanguíneo de recém-nascidos poderá ser informado na certidão de nascimento no ES

Publicado em

Hospitais e maternidades do Estado poderão ser obrigados a informar o tipo sanguíneo e o fator Rh de recém-nascidos e de seus pais, junto com demais elementos identificadores de nascimento. A proposta consta no Projeto de Lei (PL) 15/2018, de Sandro Locutor (Pros).
As instituições que não cumprirem o que diz o texto terão de pagar multa diária no valor de 5 mil Valores de Referência do Tesouro Estadual (VRTEs), que hoje fica em torno de R$ 16,3 mil. O valor dobra em cada reincidência.
De acordo com a justificativa do autor, “saber o tipo sanguíneo é uma informação de grande importância para todas as pessoas, seja para a detecção precoce de doenças, ou para a realização de exames”.
A proposta determina que o procedimento seja feito por meio de uma amostra de sangue retirada no teste do pezinho. “O resultado será fundamental para informar se o bebê terá algum problema de incompatibilidade sanguínea com a mãe e também será utilizado em casos de emergências médicas”.
Além disso, o texto do projeto argumenta que o mecanismo será de grande prevenção em casos de troca ou desparecimento de recém-nascidos nos hospitais e maternidades, pois o registro feito com a tipagem sanguínea deverá impedir uma possível falsificação documental do desaparecido.
Assim, maternidades, unidades de saúde e hospitais, quando emitirem a declaração de nascido vivo para efeito de registro de nascimento perante o cartório ficam obrigados a colocar o tipo sanguíneo e o fator RH do bebê e seus pais, juntamente com os demais elementos identificadores do nascimento.

leia também:  Dia D de vacinação contra a COVID-19 leva jovens as unidades de saúde em São Gabriel

ES Hoje

Saúde - ES1.com.br

Covid-19: Brasil tem 361 óbitos e 77,1 mil casos em 24 horas

As secretarias estaduais e municipais de saúde registraram 77.166 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas em todo o país. De acordo com os órgãos, foram confirmadas também 361 mortes por complicações associadas à doença no mesmo período. 

Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta quarta-feira (6), em Brasília. Segundo a pasta, o estado do Mato Grosso do Sul não enviou o balanço do dia.

Com as novas informações, o total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus durante a pandemia é de 32.687.680.

O número de casos em acompanhamento de covid-19 está em 937.352. O termo é usado para designar ocorrências notificadas nos últimos 14 dias que não tiveram alta, nem resultaram em óbito.

Com os números de hoje, o total de óbitos alcançou 672.790 desde o início da pandemia. Ainda há 3.255 mortes em investigação. As ocorrências envolvem casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demanda exames e procedimentos complementares.

Até agora, 31.077.538 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 95,3% dos infectados desde o início da pandemia.

leia também:  Pesquisadoras brasileiras criam sorvete que alivia sintomas em pacientes sob quimioterapia

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (171.306), Rio de Janeiro (74.246), Minas Gerais (62.287), Paraná (43.898) e Rio Grande do Sul (40.131).

Boletim epidemiológico da covid-19 Boletim epidemiológico da covid-19

Boletim epidemiológico da covid-19 – Ministério da Saúde

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia continuam sendo Acre (2.005), Amapá (2.141), Roraima (2.153), Tocantins (4.168) e Sergipe (6.363).

Vacinação

Até o momento, foram aplicadas 451.676.921 doses de vacinas contra a covid-19, sendo 177,4 milhões como primeira dose, 157,8 milhões como segunda dose e 4,9 milhões como dose única. Outras 95,7 milhões de pessoas já receberam a dose de reforço e 11,3 milhões ganharam segunda dose extra, ou quarta dose da vacina.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2