conecte-se conosco


Agricultura - ES1.com.br

Tecnologia aumenta a produtividade e a rentabilidade do café no Brasil

Publicado em

camera_enhance (Crédito: divulgação)

Produzir café no Brasil usando novas tecnologias vem se tornando uma atividade mais rentável do que há pelo menos uma década. Isso é o que mostra o estudo intitulado A Cultura do Café: Análise dos Custos de Produção e da Rentabilidade nos Anos-Safra 2008 a 2017, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o estudo, o aumento da produtividade aparece como responsável pela melhoria de rentabilidade tanto da variedade do café arábica quanto do café conilon, variedade também conhecida como robusta.
Para o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Aroldo de Oliveira Neto, o investimento em tecnologia em algumas regiões de produção cafeeira foi fundamental para a mudança de cenário.
“Quando se fala nessa mudança é preciso voltar no tempo em que se usava basicamente a mão de obra na colheita do café. Na medida em que você usa a tecnologia – e a mecanização faz parte disso – você vai aumentar a quantidade de café colhido e a um custo muito menor. Porque, apenas à guisa de exemplo, onde se colhia um saco manualmente seria possível colher, digamos, 100 sacos”, explica o superintendente.
Mas a mecanização da colheita não foi o único fator de aumento da rentabilidade. Aroldo Oliveira observa que a qualidade do café também melhorou graças a uso de novos insumos e novos processos de produção. Ele cita o caso de Rondônia, onde o estudo mostra claramente a diferença da tecnologia.
“Um cafezal tem vida útil de 30 anos. Então, a partir de 2013, um programa do governo estadual, com a participação de diversas entidades e instituições ligadas ao setor, começou a incentivar os produtores a erradicar o café velho e substitui-lo pelo clone, que é uma planta resultante de um processo de enxerto. Esse pé de café é mais forte e produz um grão de melhor sabor. Então o preço acaba sendo melhor”, explica o superintendente.
Aroldo Oliveira destaca ainda que na região do estado que adotou esse pacote tecnológico os resultados foram comparativamente melhores que os da região onde a introdução dos novos processos de produção e colheita foi feita mais recentemente. Uma das vantagens do clone, segundo Aroldo Oliveira, é a de que o clone se adapta a qualquer tipo de região onde for plantado. “O Brasil tem hoje a produção do café com novas tecnologias em outras regiões como o Espirito Santo, que é o maior produtor do café conilon, e o sul da Bahia.”
Aroldo Oliveira reconhece que a rentabilidade gerada pela melhora da produtividade, em 2016, foi influenciada também pelo preço favorável do café no mercado internacional.
“Mas é preciso lembrar que o café é uma commoditie e que seu preço oscila. Mas mesmo quando o preço cai, o prejuízo que poderia advir dessa queda será sempre muito menor graças ao uso da tecnologia”, disse o superintendente.

leia também:  Embrapa e Visiona fazem acordo para usar tecnologia espacial na agricultura

EBC

Agricultura - ES1.com.br

Colatina recebe R$ 4 milhões em recursos para agricultura familiar

Os recursos foram viabilizados durante a gestão do Deputado Federal Paulo Foletto na Secretaria de Estado da Agricultura nos últimos 3 anos

Em três anos, o município de Colatina recebeu quase 4 milhões em equipamentos, máquinas e veículos para a agricultura. Os recursos foram viabilizados durante a gestão do deputado federal Paulo Foletto (PSB) na Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag). Os investimentos beneficiaram diversas associações e cooperativas de produtores rurais do município, além de auxiliarem nos serviços rurais da Prefeitura de Colatina.

Foram entregues itens de fundamental importância para o trabalho e rotina das famílias da agricultura familiar colatinense. As entregas ao município vão desde caminhão truck caçamba basculante (R$429 mil), pá carregadeira (R$323 mil) e trator agrícola 75cv (R$ 153 mil) até descascadores de café, computadores, carreta agrícola, balança eletrônica, tanque decantador para mel, secadores de café, entre outros.

Na última quinta-feira (23), o deputado entregou um caminhão baú frigorífico para a Cooperativa de Agricultores Familiares de Colatina (Caf Colatina). O Presidente da Caf, Wellington Schmild, recebeu o veículo junto com os demais membros da cooperativa.

“Quero agradecer ao deputado Paulo Foletto pela parceria e confiança no trabalho da cooperativa. Hoje estamos recebendo este equipamento que vai dar mais mobilidade ao nosso trabalho de entrega das polpas de frutas. Nosso muito obrigado!”, disse Wellington.

leia também:  Câmara Municipal de Vila Valério aprova Projeto de Lei Nº 025/2021 que ajuda os agricultores do município

No último fim de semana, o deputado Paulo Foletto também acompanhou três entregas nas comunidades de Barra Seca e de São Luiz da Barra Seca. Foram entregues um trator 75cv para a Associação de Produtores Rurais de São Luiz, e um pilador e um secador de café para a Associação de Produtores de Barra Seca.

“Eu tenho que agradecer muito ao governo Casagrande e ao deputado Paulo Foletto que nos deu essa oportunidade, que confiou em nosso trabalho”, disse o presidente da associação da comunidade de São Luiz da Barra Seca, José Braz Setto.

Para Foletto, todas estas entregas no município de Colatina, que somam quase 4 milhões, são resultado de uma gestão comprometida com a agricultura capixaba. “São benefícios que mudam a vida das comunidades agrícolas do Espírito Santo. O governo Casagrande se comprometeu desde o início da gestão com o fortalecimento da agricultura familiar capixaba, seja com infraestrutura rural, equipamentos e investimentos em pesquisa e tecnologia”, explicou.

Fonte: Assessoria

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2