conecte-se conosco


Policial - ES1.com.br

Suspeitos são presos por repassarem armas de fogo e munições para criminosos em Jaguaré

Publicado em


A Delegacia de Polícia (DP) de Jaguaré e a Delegacia Especializada de Armas e Munições (Desarme) deflagraram a 2ª fase da “Operação Asfixia”, na última quinta-feira (26) e a sexta-feira (27), em cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão no município de Jaguaré, no norte do Estado. Durante a ação, cinco homens foram presos e uma mulher foi detida. Diversas armas e munições foram apreendidas. Os resultados dessa operação foram apresentados em entrevista coletiva, na tarde dessa segunda-feira (30), na Chefatura da Polícia Civil.

As investigações apontam que os suspeitos têm envolvimento no comércio ilegal de arma de fogo e fazem parte de uma associação criminosa que atua na região norte do Estado.

De acordo com o titular da Desarme, delegado Christian Waichert, os suspeitos compravam as armas de forma legal e repassavam para os comparsas utilizarem em diversos tipos de crimes. “Observamos que aumentou, ultimamente, o número de pessoas sem passagens pela polícia, de maneira lícita, para revender as munições ou mesmo emprestar as armas para o crime organizado”, disse o delegado.

leia também:  PM detém 10 pessoas durante final de semana em Guarapari

A titular da DP de Jaguaré, delegada Gabriella Zache, explicou que as diligências tiveram início entre os dias 17 e 20 de maio, após a deflagração da 1ª fase da “Operação Asfixia”. 

“As ações são voltadas para reprimir o comércio de arma de fogo, que tanto tem aumentado a violência no nosso Estado. Essa operação está na 2ª fase. No mês de maio, foi deflagrada a 1ª fase da Operação, que prendeu quatro pessoas e 11 armas foram apreendidas. Já na 2ª fase, foram detidas seis pessoas e quatro armas de fogo apreendidas. A operação foi bem exitosa, pois no total 15 armas de fogo foram retiradas de circulação, um simulacro, uma arma de pressão, R$ 54 mil em espécie e mais de R$ 1 milhão de notas promissórias e cheques, além de nove veículos encontrados. Todo esse material era pertencente ao comércio de armas de fogo, tanto que foi uma apreensão muito significativa na região, pois impactou na redução de homicídios”, explicou a delegada. 

Em relação aos suspeitos, presos no decorrer da 2ª fase da operação, a mulher pagou fiança e vai responder em liberdade pelo crime de comercio ilegal de arma de fogo. Já os cinco suspeitos responderão pelo porte ilegal de arma de fogo e foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória de São Mateus (CDTSM).

leia também:  PM apreende submetralhadora em Terra Vermelha

As autoridades policias ressaltaram que as investigações vão prosseguir para retirar os criminosos e as armas de circulação. A população pode ajudar ligando para o Disque-Denúncia 181, para colaborar com o trabalho investigativo da polícia.

Texto: Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi)

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]

Atendimento à Imprensa
Olga Samara/ Camila Ferreira
(27) 3636-1536(27) 99846-1111/
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693
[email protected]

Policial - ES1.com.br

PCES e PMES prendem quatro suspeitos de tráfico de drogas durante operação em Vitória



A equipe do Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic) realizou, nessa terça-feira (25), uma ação com policiais militares do 1º Batalhão. A ação aconteceu no bairro Ilha do Príncipe, em Vitória, e, na ocasião, quatro indivíduos foram presos com arma, drogas e munições. 

Por meio dos trabalhos de inteligência, os policiais receberam a informação de que, durante a madrugada, um grupo de indivíduos estava abordando veículos em duas ruas do bairro Ilha do Príncipe, com o objetivo de identificar os condutores e, em alguns casos, efetuando roubos aos ocupantes dos carros.

Chegando no local, os policiais encontraram um grupo de indivíduos, sendo que dois deles, usando máscaras e de posse de arma de fogo, fugiram assim que avistaram as viaturas. Entretanto, a equipe de policiais conseguiu seguir os suspeitos até entrarem em uma casa amarela.

Diante do flagrante delito, as equipes entraram no imóvel e encontraram dois homens de 22 e 25 anos. Dando continuidade às diligências, outro suspeito de 37 anos foi localizado tentando se esconder debaixo da cama. Com ele, os policiais encontraram um carregador de pistola calibre 9mm, municiado com nove munições do mesmo calibre. 

Ainda na residência, em outro quarto, um suspeito de 29 anos foi encontrado escondido no guarda-roupa, com uma máscara do pânico e uma pistola de cor preta. Durante as buscas pessoais, os policiais ainda localizaram com o suspeito uma pistola da marca CZ, modelo P-09, calibre 9mm, com carregador de capacidade para 19 munições, municiada com 19 munições e alimentada pronta para uso.

Na sala da residência ainda foi encontrada uma caixa contendo 14 pedras de substância similar a crack, 23 pinos de substância similar à cocaína, 26 buchas de substância similar à maconha. Além de um frasco de lidocaína, usado para o preparo de cocaína, selos adesivos para droga, um pedaço de substância similar a crack, aproximadamente do tamanho de um sabonete.

Durante a operação, as equipes contaram com o apoio do serviço de inteligência com agentes em viaturas descaracterizadas e do equipamento drone, que monitorava em tempo real toda a movimentação no local. Dessa forma, os policiais puderam observar quando outro suspeito correu pelo beco, nos fundos da igreja Assembleia de Deus, com algo em mãos.

De imediato, os policiais foram até o local, uma edificação de três pavimentos, e localizou no térreo do imóvel um tablete de, aproximadamente, 300g de uma substância similar à maconha e uma balança de precisão. O suspeito acabou se evadindo do local, não sendo localizado.

“A operação teve o objetivo de reprimir crimes patrimoniais e outros conexos, como roubo a transporte coletivo no bairro Ilha do Príncipe”, destacou o titular da Divisão de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP), delegado Gabriel Monteiro.

Os suspeitos foram autuados por tráfico e associação para o tráfico, sendo encaminhados para o Centro de Triagem de Viana (CTV), onde permanecem à disposição da Justiça.

Texto: Victória Meireles, estagiária da Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi).

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected] 

 

Atendimento à Imprensa:
Matheus Zardini / Camila Ferreira
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693 / (27) 99231-5157
[email protected]

leia também:  Polícia Militar prende traficante no Morro do Cruzamento, em Vitória
Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma