conecte-se conosco


Saúde

São Paulo: 33,5% dos adultos já tiveram covid-19, diz prefeitura

Publicado em

© Diogo Moreira/Divulgação Governo de São Paulo


Um em cada três moradores da cidade de São Paulo acima de 18 anos já foi infectado pelo vírus da covid-19. Isso é o que demonstra o mais atual inquérito sorológico feito pela prefeitura paulistana e divulgado hoje (13).

Segundo os dados dessa quinta fase do inquérito sorológico, 33,5% dos moradores da capital paulista já tiveram covid-19, mas o número pode ser ainda maior, chegando a 37,1%. Segundo a prefeitura, esse foi o maior resultado já apresentado na série histórica, que começou a ser feita em junho do ano passado. “É um número altíssimo”, disse o secretário municipal da saúde, Edson Aparecido, ao apresentar os dados.

Segundo o secretário, esse número alto pode ser resultado da prevalência da variante de Manaus (P1) na cidade, que provocou também uma mudança no perfil da doença. Esse inquérito demonstrou que a faixa etária com maior incidência da doença foram os jovens de 18 a 34 anos, que correspondem agora a 35,1% dos casos confirmados, seguido do grupo de 35 a 49 anos, com 28,7% dos testados com confirmação da doença.

leia também:  Governo anuncia ampliação do Programa Saúde na Hora

“Com a P1, tivemos aumento de casos no chamado jovem adulto, entre 20 e 55 anos de idade”, disse o secretário, reforçando que, com o início da vacinação, houve queda de casos entre a população acima de 80 anos.

Na maior parte dos casos confirmados (56,1% do total), as pessoas não apresentaram sintomas da doença. Também do total de casos confirmados, 37,2% necessitaram internação em unidade de terapia intensiva (UTI) e 17,2% necessitaram ser intubados.

Divisão por regiões e IDH

O inquérito mostrou ainda que a região da cidade com maior prevalência de casos positivos de covid-19 foi a zona sul, com 39,1%, seguida pela zona norte (34,4%), zona leste (33,3%), zona sudeste (29,6%) e centro-oeste (27,2%).

A doença também se mostrou mais prevalente entre as pessoas que vivem em regiões com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), embora em todas elas tenha ocorrido aumento de casos. “A população de IDH alto passou de 20,1% [de prevalência] para 29,9%; a média, de 25,2% para 33,7%; enquanto na faixa de IDH baixo passou de 28,8% para 36,2%”, disse o secretário.

leia também:  Brasil acumula 867,6 mil casos do novo coronavírus

O maior número de casos confirmados da doença ocorreu entre as pessoas que se declaram pretas ou pardas. “Voltou a crescer a incidência e a prevalência do vírus na população preta e parda, com 37,6%”, disse Edson Aparecido.

Esta fase 5 do inquérito sorológico de 2021 foi feita entre os dias 26 e 29 de abril em 5.760 pessoas, moradores de todas as regiões da cidade.

Censo na Educação

A prefeitura fez também um novo inquérito sorológico com profissionais que trabalham na área na rede municipal de ensino em São Paulo. Esse inquérito foi feito entre os dias 5 e 8 de abril e revelou uma prevalência de 27% de infecção entre os profissionais da educação.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Saúde

Covid-19: Brasil registra 210 óbitos e 14,4 mil infecções em 24h


O Brasil registrou 14.423 casos de covid-19 e 210 mortes causadas pela doença em 24 horas, segundo o boletim da situação epidemiológica divulgado nesta segunda-feira (27) pelo Ministério da Saúde.

Com os novos diagnósticos de covid-19 confirmados, o total de pessoas contaminadas desde o início da pandemia chegou a 21.366.395. 

Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde atualiza os números da pandemia no Brasil. Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde atualiza os números da pandemia no Brasil.

Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde atualiza os números da pandemia no Brasil. – Ministério da Saúde

Ainda há 410.551 casos em acompanhamento. O nome é dado a casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

Há 3.090 falecimentos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em investigação. Isso porque em muitos casos a análise sobre a causa continua mesmo após o óbito.

Com as novas mortes, a soma de pessoas que perderam a vida para a doença alcançou 594.653 pessoas. 

Segundo o boletim, 20.361.191 pessoas se recuperaram da doença.

Os dados em geral são menores aos sábados, domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (149.127), Rio de Janeiro (65.661), Minas Gerais (54.373), Paraná (38.929) e Rio Grande do Sul (34.752). Os que menos registraram mortes foram Acre (1.836), Amapá (1.977), Roraima (1.993), Tocantins (3.777) e Sergipe (6.008).  

Vacinação

Dados mais recentes do Ministério da Saúde mostram que 232,2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 foram aplicadas em todo o Brasil, sendo 144,9 milhões como primeira dose e 87,3 milhões como segunda dose (ou dose única). 

Em 24 horas, foram aplicadas 537.043 milhões de doses. Segundo a pasta, foram distribuídas 284,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19 para todo o país.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

leia também:  Reeducação alimentar deve ser iniciada na infância, diz especialista
Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

INFORMATIVO

Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma