conecte-se conosco


Cidades - ES1.com.br

Radar na ES 130 em Nova Venécia começa a autuar

Publicado em

A partir desta quinta-feira, 1º, o Equipamento de Fiscalização Eletrônica localizado no quilômetro 117,1 da Rodovia ES 130, em Nova Venécia, no sentido de Boa Esperança, passa a autuar os veículos que ultrapassarem a velocidade de 40 KM. Até o último dia de fevereiro ele estava funcionando no modo piscante para que os motoristas que costumam trafegar pelo local pudessem acostumar com o novo ponto. O critério para que a rodovia recebesse um radar, segundo um estudo prévio do DER-ES, é que o trecho tem um histórico de muitos acidentes. Segundo dados sobre radares, em todos os trechos onde existe um equipamento instalado o número de acidentes reduziu por conta da obediência dos condutores que passam a respeitar o limite de velocidade. A instalação do equipamento é mais uma medida que o DER-ES adota como prevenção contra acidentes. Com esse novo radar as estradas estaduais passam a ter 105 pontos instalados em rodovias que cortam 26 municípios.

“O radar é uma das últimas medidas de segurança que adotamos quando se precisa inibir as condutas inadequadas por parte de motoristas. Essa medida também se estende aos ciclistas, motociclistas e pedestres. Temos como prioridade preservar a vida dos condutores e passageiros que trafegam por nossas rodovias. Esse é o motivo pelo qual instalamos esse novo equipamento em Nova Venécia”, disse Enio Bergoli, diretor-geral do DER-ES.  

leia também:  Festival de Música é tradição há mais de uma década em escola de Linhares

Os radares instalados nas rodovias do Estado autuam o motorista por parada sobre a faixa de pedestre, avanço de sinal e excesso de velocidade, que corresponde a cerca de 90 % das autuações feitas. Os valores da multam também variam entre R$ 130,16 e R$ 880,41.

Assessoria/DER-ES

Cidades - ES1.com.br

Estação de tratamento de esgoto inicia operações em Colatina

Obra realizada com recursos compensatórios foi inaugurada no início do mês de junho

As operações da primeira etapa da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do distrito de Barbados, em Colatina, no Espírito Santo, foram iniciadas. A parte da ETE que compreende o tratamento preliminar foi concluída com recursos compensatórios do Programa de Saneamento da Fundação Renova, no valor de cerca de R$2 milhões.

Uma segunda etapa das obras está prevista para complementação do tratamento secundário na ETE, com a implantação de decantadores finais, que também será financiada com recursos no valor de cerca de R$11,3 milhões. O projeto de saneamento beneficiará mais de 125 mil habitantes na região. Com o funcionamento da ETE, o esgoto doméstico do município passará por processos de tratamento antes de retornar ao meio ambiente.

Em Colatina, também está em andamento a obra para a implantação da Central de Tratamento de Resíduos (CTR) pelo Condoeste (Consórcio Público para o Tratamento e Destinação Final Adequada de Resíduos Sólidos da Região Doce Oeste do Estado do Espírito Santo), que deverá beneficiar cerca de 500 mil pessoas.

leia também:  Obras no centro de Vila Valério continuam a todo vapor

Os investimentos em coleta e tratamento adequado de esgoto no município trarão melhorias significativas para a qualidade de vida da população e também da água na bacia do rio Doce.

Recursos compensatórios

A Fundação Renova irá disponibilizar, para obras de esgotamento sanitário e resíduos sólidos, cerca de R$170 milhões em recursos compensatórios para quatro municípios capixabas, sendo Linhares, Colatina, Baixo Guandu e Marilândia; e para Condoeste, composto por 22 municípios do Espírito Santo.

Por meio da contratação do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), estão sendo custeadas ações de esgotamento sanitário e destinação de resíduos sólidos urbanos com vistas à melhoria da qualidade da água do rio Doce. O programa conta ainda com atividades complementares de apoio técnico e capacitação dos agentes municipais.

Até março deste ano, R$11,6 milhões foram repassados aos municípios de Baixo Guandu, Colatina e Linhares, e ao Condoeste. As parcelas são liberadas mediante análise, aprovação dos projetos e vistorias das obras, realizadas pelo banco.

Em Baixo Guandu e Marilândia, estão em elaboração os projetos de engenharia dos sistemas de esgotamento sanitário da sede municipal.

leia também:  Prefeitura esclarece interrupção no atendimento ao público no Cadastro Único

Revitalização do rio Doce

A coleta, o tratamento do esgoto e a destinação adequada dos resíduos sólidos são considerados fundamentais para a revitalização do rio Doce. O Comitê da Bacia Hidrográfica (CBH–Doce) aponta que 80% do esgoto doméstico gerado pelos municípios ao longo da bacia seguem diretamente para o rio, sem nenhum tratamento, poluindo os cursos d’água. Ao mesmo tempo, grande parte dos resíduos sólidos urbanos coletados são dispostos em lixões, ocasionando vários impactos ambientais, como proliferação de vetores, poluição visual, contaminação do solo e dos recursos hídricos, dentre outros.

A expectativa da Fundação Renova é gerar um impacto ambiental positivo para toda a bacia, com a redução da carga orgânica poluidora lançada diretamente nos recursos hídricos. Nesse sentido, os projetos de saneamento irão promover a melhoria da qualidade das águas da Bacia do Rio Doce e consequente melhoria na qualidade de vida e saúde da população.

Saiba mais ações voltadas ao tratamento e análise da água: https://www.fundacaorenova.org/agua/

Fonte: Fundação Renova

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2