conecte-se conosco


Educação - ES1.com.br

Projeto quer garantir acesso de todos os cidadãos às aulas em universidades públicas

Publicado em

Permitir que qualquer pessoa, mesmo que não seja aluno regular, tenha acesso às aulas ministradas nas universidades públicas é o objetivo do Projeto de Lei do Senado 103/2018. De autoria do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), a proposta será votada pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).
O texto receberá decisão terminativa na CE, isto é, sem a necessidade de posterior votação do Plenário do Senado, a menos que seja apresentado recurso com esse objetivo.
O PLS 103/2018 estabelece, em seu texto, que as universidades públicas podem determinar o número de vagas disponíveis para assegurar o livre acesso dos cidadãos, como alunos ouvintes. Além disso, prevê que o acesso dos interessados por meio de gravação ou transmissão simultânea das aulas e seminários não poderá ser impedido.
Na justificação do projeto, Cristovam afirma que seu objetivo é fazer com que as universidades sejam mais “públicas” e menos “estatais”, isto é, pretende torná-las ainda mais úteis à sociedade.

Agência Senado

leia também:  Escola Miranda Cunha lança projeto “CATE PARA ASCAT” em São Gabriel

Educação - ES1.com.br

Dia D da Busca Ativa Escolar de Nova Venécia acontece às quintas-feiras

A Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seme), seguindo o cronograma do dia D da Busca Ativa Escolar, na quinta-feira (30), disponibilizou equipes para visita técnica aos Distritos de Cedrolândia e São Gonçalo, pela manhã e em bairros do município veneciano, no período da tarde. Foram recebidos  7 alertas, sendo 5 localizados com êxito.

A Seme implantou  a estratégia Busca Ativa Escolar no ano passado, com o objetivo de identificar, registrar, controlar e acompanhar crianças e adolescentes, em idade escolar obrigatória, de 4 a 17 anos que estão fora da escola.

A partir de abril deste ano, a Seme criou o dia D,  que acontece  semanalmente às quintas-feiras. O trabalho é desenvolvido  entre as Secretarias Municipais de Educação, Saúde e Assistência Social, cada uma atuando no âmbito de suas competências de forma integrada e articulada.

De acordo com a coordenadora da Busca Ativa, um cronograma é feito pelo setor com base nas informações inseridas, feita pela unidade escolar, na plataforma. “Os  dados da Plataforma nos permitem  identificar se o aluno está matriculado e não está frequentando as aulas”, disse. Segundo ela, outra forma de obtenção de informações é por meio dos agentes de saúde, que,  ao visitarem as famílias, acabam por identificar  alunos fora da escola.

leia também:  Escola Miranda Cunha lança projeto “CATE PARA ASCAT” em São Gabriel

Além de trazer o aluno de volta para a escola, a estratégia monitora a criança e/ou adolescente para garantir sua permanência nas unidades escolares.

Sobre a estratégia
A Busca Ativa Escolar foi desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), em parceria com a União de Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com o apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde,  como estratégia para apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes, em idade escolar obrigatória, de 4 a 17 anos.

Fonte: Ascom|PMNV

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2