conecte-se conosco


Saúde

Pesquisa revela piora do estilo de vida do brasileiro na pandemia

Publicado em

© Marcello Casal jr/Agência Brasil


Maior tempo de tela e menos atividade física: o estilo de vida do brasileiro piorou durante a pandemia, mostra pesquisa de universidades federais mineiras. O estudo foi iniciado cinco meses após o início das medidas de distanciamento social. 

Os resultados da primeira etapa foram publicados em artigo nas revistas Public Health Nutrition e na Frontiers in Nutrition. A pesquisa foi realizada em conjunto pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelas universidades federais de Lavras (Ufla), Ouro Preto (Ufop) e Viçosa (UFV). 

Em relação às refeições, diminuiu a frequência de realização de café da manhã, lanche e almoço, por outro lado, aumentou a realização de lanches noturnos e outras refeições além das tradicionais. Os hábitos alimentares também pioraram, com aumento de consumo de pães, farináceos, refeições instantâneas e fast food. O consumo de frutas e vegetais, por sua vez, caiu.

Sobre o estilo de vida, houve mudança no consumo mais frequente de bebida alcoólica, aumento na frequência no hábito de fumar, e no tempo de utilização de telas e dispositivos. Antes da pandemia, os participantes da pesquisa relataram média diária de seis horas e meia de exposição. Durante a pandemia, esse número subiu para dez horas por dia.

leia também:  Mato Grosso do Sul decreta toque de recolher a partir de segunda-feira

Por outro lado, houve redução da prática de atividade física. Os voluntários que responderam ao questionário informaram praticar em torno de 120 minutos por semana no período pré-pandemia e o índice caiu para 80 minutos por semana com as restrições para evitar a circulação do novo coronavírus. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é uma prática semanal de 150 a 300 minutos.

Para o estudo, foram aplicados questionários online entre agosto e setembro de 2020. Os dados reúnem respostas de 1.368 pessoas de ambos os sexos, com idade a partir de 18 anos. Quase 90% são da região Sudeste e 80% são mulheres. Entre os respondentes, 97% disseram estar cumprindo as medidas de distanciamento social.

A segunda etapa da pesquisa envolve a análise de variáveis de comportamento alimentar, ganho de peso e prática de exercício físico durante a pandemia. De acordo com os pesquisadores, esta fase está em andamento e inclui a reaplicação do questionário após 10 meses.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Saúde

Capital paulista mantém vacinação contra covid-19 no fim de semana


A capital paulista mantém neste fim de semana o processo de imunização contra a covid-19, e o público elegível poderá se vacinar nas 82 AMA/UBS Integradas, das 7h às 19h, ou em 21 megapostos, das 8h às 17h, no sábado (23).

No domingo (24), a vacinação ocorrerá em sete parques da cidade, nas farmácias parceiras da Avenida Paulista e no megaposto da Galeria Prestes Maia, com entrada pela Praça do Patriarca.

Atualmente, a vacinação na cidade ocorre para a primeira e segunda doses e dose adicional. No último caso, a imunização é para idosos acima de 60 anos e trabalhadores da área de saúde com mais de 18 anos, que tomaram a última dose do esquema vacinal (segunda dose ou dose única) há pelo menos seis meses, exceto grávidas e puérperas.

A vacinação continua liberada para pessoas com mais de 18 anos que tenham alto grau de imunossupressão e que tenham tomado a última dose do esquema vacinal há pelo menos 28 dias. A dose adicional também está liberada para os profissionais da Guarda Civil Metropolitana, sepultadores residentes na cidade e fiscais das subprefeituras, com a vacina CoronaVac.

leia também:  Anvisa autoriza novo ensaio clínico de vacina contra covid-19

A lista de postos para vacinação contra a covid-19 pode ser consultada na página Vacina Sampa, da prefeitura paulistana).

Vacinação no domingo

Neste domingo, postos de vacinação funcionarão na Galeria Prestes Maia, que fica na Praça do Patriarca, 2, das 8h às 17h, e nas farmácias parceiras na Avenida Paulista: Av. Paulista, 2.371 e 266, das 8h às 16h.

Haverá também vacinação, das 8h às 17h, nos parques Buenos Aires (centro); Guarapiranga (zona sul); do Carmo (zona leste); Villa-Lobos (zona oeste); da Juventude (zona norte); Recreativo Ceret e Parque da Independência (região sudeste).

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma