conecte-se conosco


Economia - ES1.com.br

Nossocrédito em Barra de são Francisco financiou quase R$ 1,2 milhões no ano passado

Publicado em

A agência do Programa Nossocrédito em Barra de São Francisco realizou quase 200 empréstimos para pequenos empreendedores do município no ano passado, totalizando R$ 1,199 milhão em financiamentos. A atuação da agência rendeu o título de agência “Ouro Elite 2007”, em recente congresso dos operadores do Nosso Crédito em todo o estado. 

Nesta terça-feira pela manhã, a agência, que trabalha em parceria com o Banestes e Secretaria Municipal de Assistência Social, ofereceu um café da manhã para a comunidade e parceiros, para comemorar a premiação.

Estiveram presentes vários secretários municipais e também o prefeito Alencar Marim, que disse ser um apoiador entusiasmado do microcrédito como forma de incentivar o desenvolvimento econômico e social de uma comunidade. Marim destacou ainda que, além de aumentar substancialmente a oferta de crédito para pequenos empreendedores, a agência conseguiu reduzir muito a inadimplência, aumento a efetividade dos financiamentos.

De acordo com Natiara Valadão, a queda na inadimplência, foi de quase 5% no ano passado. “Passamos de algo em torno de 7,5% para pouco mais de 2%”, destaca ela. 

“(2017) foi o melhor ano da agência, que está operando na cidade desde 2006. Para se ter uma ideia, o melhor ano em concessão de empréstimos tinha sido em 2012, quando a situação da economia nacional era muito boa”, compara.

Ela salienta que, devido à crise a tomada de empréstimos sofreu uma queda nos dois últimos anos – 2015 e 2016 – mas este ano, com as perspectivas de melhoras na economia, já houve um aumento de 100% na oferta de crédito, em relação ao ano passado.

leia também:  Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar até R$ 1 mil no FGTS

Natiara destaca ainda que os homens também passaram a empreender mais, igualando-se às mulheres na tomada de empréstimos. Do total de tomadores de empréstimos, mais de 70% se encontra nos perímetros urbanos, sendo que na sede, o bairro Irmãos Fernandes e o centro concentram o maior número de empreendedores.

Por outro lado, o valor dos financiamentos, em sua grande maioria, fica dentro do teto de R$ 7,5 mil, mas existe um grande número de empreendimentos com valores bem abaixo desse teto. O empréstimo mínimo é de R$ 200.

Para Natiara Valadão, a importância do Nossocrédito é enorme na região, já que oferece oportunidades para todos aqueles que desejam investir no próprio negócio, ou mesmo melhorar um negócio que já possui. “Nós temos uma parceria com o Sebrae, na qual oferecemos, além do financiamento com juros baixos, cursos gratuitos para micro e pequenos empreendedores na área de gestão e administração”, informa ela, salientando que basta os interessados solicitarem que os cursos serão disponibilizados.

 

 

 

camera_enhance Café da manhã foi servido para comemorar o prêmio estadual (Crédito: Divulgação)

Empréstimos de R$ 200 a R$ 7,5 mil

 

O Nossocrédito funciona por meio de uma parceria entre Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Banestes, Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), prefeituras e Sebrae-ES. O Programa está presente em todos os municípios do Espírito Santo, e conta com agentes capacitados e treinados pelo Bandes. Os endereços de todas as agências do Nossocrédito estão disponíveis no site do Bandes (www.bandes.com.br).

leia também:  OCDE aprova plano de adesão do Brasil e de outros países ao grupo

Natiara salienta que os empréstimos iniciais vão de R$ 200,00 a R$ 7,5 mil com juros de 1,6% a 1,7% ao mês. “Se o tomador pagar o empréstimo corretamente, o valor disponível para ele vai aumentando até chegar ao teto de R$ 20 mil”.

Se a pessoa está produzindo há mais de seis meses, no setor formal ou informal, e reside no mesmo município há mais de dois anos, ou pelo menos tem seu negócio estabelecido há mais de dois anos no local, ela pode ter acesso a um financiamento do Nosso Crédito.

O microcrédito também pode ser utilizado em marcenarias, sapatarias, padarias, gráficas, carpintaria, artesanato, alfaiataria, produção de alimentos e fabricantes de uma infinidade de produtos de consumo – ou seja, na indústria também.

“A importância do programa é que ele atua na base da economia, 90% do recurso fica no próprio município, trazendo uma dinâmica para o comércio local. Sem falar que é uma alternativa para que o empreendedor tenha fôlego para manter os negócios em andamento dentro da normalidade, o que amplia as perspectivas de crescimento futuro”, ressalta Everaldo Colodetti, diretor de Crédito e Fomento do Bandes, que é o responsável pela administração do programa.

 


camera_enhance (Crédito: Divulgação)


Editora Hoje

Economia - ES1.com.br

Bares e restaurantes têm o melhor desempenho do ano em julho

Bares e restaurantes têm o melhor desempenho do ano em julho, mas número de estabelecimentos com prejuízo ainda preocupa, informou a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

O número de bares e restaurantes que tiveram lucro aumentou de 35% para 37% em julho de 2022 e os que fecharam o mês com prejuízo caíram de 29% para 26%.

O representante da Abrasel, José Camargo, disse que o setor está otimista para os próximos meses, mas que ainda preocupa o grande número de estabelecimentos com prejuízo e com dívidas acumuladas.

Entre os estabelecimentos que tiveram prejuízo em julho, 75% deles apontam que a inflação é o principal fator para o resultado negativo.

Por outro lado, a associação  estima que o setor pode contratar até 100 mil novos trabalhadores até o final do ano, aproveitando a Copa do Mundo e as festas de Natal e ano novo.

Dos estabelecimentos consultados pela pesquisa, 35% disseram que esperam contratar novos empregados no futuro e 11% afirmaram que têm intenção de demitir trabalhadores.

A pesquisa da Abrasel entrevistou donos de 1.484 bares ou restaurantes de todo o Brasil.

leia também:  Ipea estima recuperação do comércio, indústria e serviços em fevereiro

Ouça mais na Radioagência Nacional:

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Economia

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!