conecte-se conosco


Política Estadual - ES1.com.br

“Nós temos que ir para o meio do povo”

Publicado em

camera_enhance Léo Bragato, vice-prefeito de São Gabriel da Palha. (Crédito: Editora Hoje )

Leonardo Luiz Valbuza Bragato (Léo Bragato), 39 anos, assumiu a prefeitura de São Gabriel da Palha por 15 dias, o fato ocorreu por conta das férias da atual prefeita do Município. Léo é casado com Juliana Tomazelli, pai de Maria Júlia e Enzo, já foi vereador, presidente da câmara, secretário de Desenvolvimento, secretário de serviços Urbanos, secretário de Agricultura. Na entrevista ele apontou os pontos importantes sobre sua passagem como prefeito de São Gabriel da Palha.

 

Editora Hoje – Como você descreve os 15 dias em que você esteve como prefeito de São Gabriel da Palha?

Léo Bragato: É um cargo que demanda muita atenção todos os dias, o que deu para perceber é que o volume de processos em São Gabriel é muito grande e se não for feito um planejamento bem elaborado, você acaba ficando muito tempo dentro da prefeitura, só resolvendo problemas e não consegue ir pro campo, ir para perto das pessoas, mas nós conseguimos atender a população, demos passos positivos, foram 15 dias ótimos.

 

Editora Hoje – Então foi possível conciliar o trabalho dentro da prefeitura com o trabalho de campo? Pode ver os problemas de perto?

Léo Bragato: Sim, conseguimos fazer visitas nas comunidades, fomos para Vila Fartura, São José, passamos em várias localidades dentro da cidade, nos bairros Os problemas existem, estamos a cada dia fazendo planejamentos, pois a prefeitura está muito enxuta, estamos tentando com a pouca ferramenta humana, as vezes pegamos uma pessoa para fazer o trabalho de duas, ou três.

 

camera_enhance (Crédito: .)

Editora Hoje – E com essa experiência de 15 dias, você teve a oportunidade de conhecer o peso que o cargo tem?

Léo Bragato: Ser prefeito não é como ser secretário, secretário você está ali só para uma pasta, a prefeita tem uma habilidade muito grande em demandar problemas e soluções para todas as secretarias, o cidadão não quer saber se está faltando dinheiro, se está faltando algo, ele busca a resolução dos problemas da vida dele. As vezes algumas pessoas pensam que sentar na cadeira de prefeito é só sentar e assinar os papéis que tudo vai se resolver, mas somos como uma empresa. 

leia também:  Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência em 2º turno

 

Editora Hoje – Quais os momentos importantes que você teve a oportunidade de participar enquanto prefeito em exercício?

Léo Bragato: Sancionamos a Lei do horário das farmácias, participamos de um ato importantíssimo onde as prefeituras não podiam trabalhar com as Cooperativas de Crédito, no nosso caso com o Sicoob, com a lei que foi sancionada pelo Michel Temer, nós fomos a primeira prefeitura no Brasil a aderir, através do pedido do Dr. Bento Venturim, Diretor Nacional do Sicoob e do Francisco Silvio Reposse Júnior, foi um ato muito importante para todos nós, principalmente para São Gabriel que é uma cidade do cooperativismo. 

 

Editora Hoje – Foi um período importante para você como pessoa? 

Léo Bragato: Sim, estou caminhando na política há mais de 22 anos, chegar a prefeito de uma cidade, é um marco importante pra mim, marca toda uma vida política, sem processos, sem problemas. Dando força para disputar outras políticas e apoiar os nossos políticos, como a Deputada Estadual Raquel Lessa, o governador Paulo Hartung que tem dado um show de administração e política.

 

Editora Hoje – Foram dias tranquilos? E quais os próximos passos?

Léo Bragato: Hoje (ontem, segunda-feira) nós estamos passando o cargo para a prefeita com muita tranquilidade, não saímos do trilho em nenhum momento, temos o secretário Maca (de Administração), que foi muito importante nesses 15 dias, me auxiliou nas questões técnicas, pois essas questão são as que levam a prefeitura, nós temos um caminho mais político, vou passar tudo para ela hoje (ontem, segunda-feira), das andanças, da questão da limpeza, de saúde que eu encontrei, é o dia de afinar e programar uma reunião com o secretariado.

leia também:  Ministério do Desenvolvimento Regional renova contratos e garante recursos para macrodrenagem no Espírito Santo

 

camera_enhance (Crédito: .)

Editora Hoje – Você deixa o cargo de Prefeito Municipal, mas as pessoas ainda podem te procurar para conversar, passar demandas, fazer sugestões?

Léo Bragato: Continuo como vice-prefeito e respondendo pela pasta da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, estou todos os dias na secretaria, quando não estou é porque vou para o interior, inclusive hoje (ontem, segunda-feira) estava no interior, nós temos que ir para o meio do povo, não podemos ficar somente aqui dentro.

 

Editora Hoje – Deixe uma mensagem para a população gabrielense.

Léo Bragato: A população pode acreditar em nossa administração, que tem compromisso com a vida, nós ainda temos um desafio que é a saúde, acredito que até o mês de junho vamos superar isso, estamos dependendo das instituições que querem prestar o serviço para a prefeitura, essa que vai devolver para a população. A prefeita já lançou a proposta, aqueles que tiverem documentação, tudo em ordem, nós vamos atender. Acredito primeiramente em Deus, e pela nossa sinceridade de trabalhar, vamos ter um caminho bem suave pela frente, porque quem trabalha em cima de coisa certa, no final as coisas dão certo.

 

Editora Hoje – Caso tenha alguma colocação ou agradecimento final a fazer, esse é a sua oportunidade.

Léo Bragato: Quero agradecer a prefeita Céia, a Câmara de Vereadores que é nossa parceira, e dizer que estamos aqui dia e noite para prestar serviço à população, agradecer as pessoas que criticam e as que dão sugestão em todos os momentos. As críticas construtivas são importantes porque você consegue trazer o carro para estrada, acreditamos no trabalho dos deputados que ajudam São Gabriel, como a Deputada Estadual Raquel Lessa.  Enfim, meu sincero agradecimento a todos, que de alguma formam tem contribuído com o desenvolvimento de nossa cidade.

 


camera_enhance Léo Bragato cobriu férias da prefeita Céia Ferreira por 15 dias. (Crédito: Editora Hoje )


Editora Hoje

Política Estadual - ES1.com.br

Música dá o tom em sessão para trombonistas

Os trombonistas capixabas receberam homenagem da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), nesta quinta-feira (30), em sessão solene realizada no Plenário Dirceu Cardoso. Compareceram à cerimônia dezenas de trombonistas e músicos de outros instrumentos de sopro e metal, como o trompete. Receberam comendas e certificados 45 músicos de vários municípios do estado. O proponente da solenidade foi o deputado Adilson Espindula (PDT), que é de Santa Maria de Jetibá, onde há centenas de praticantes do trombone. 

Fotos da sessão solene 

O deputado Adilson Espindula lembrou que é um parlamentar pomerano e luterano, e que tem apoiado as comunidades capixabas que seguem a doutrina religiosa. “Sempre procuro fazer um trabalho voltado para as nossas origens, valorizando a cultura e as tradições pomeranas. Também busco auxiliar a Igreja Luterana e suas instituições, possibilitando que continuem a realizar seus trabalhos que são tão importantes para a população capixaba”, pontuou o deputado. 

Por fim, disse que sempre apoiou o trabalho dos trombonistas, buscando recursos e dando visibilidade ao trabalho desses grupos. Segundo o deputado, só em Santa Maria de Jetibá, há mais de 800 trombonistas. “Nós precisamos garantir que essa tradição dos trombonistas continue com as futuras gerações”, para tanto, Espindula anunciou projeto de sua autoria que declara os trombonistas patrimônio cultural e imaterial, além do Dia Estadual dos Trombonistas, que já é lei.

Em nome dos homenageados, falou o presidente da Associação Obras Acordai Capixaba, Armindo Klitzke. Ele explicou que o coro de trombone tem origem na Alemanha nos anos 1840, antes da unificação germânica. De acordo com ele, os músicos, que não eram profissionais, tinham papel de agregar espiritualidade e dar maior volume ao coro, pois os órgãos não alcançavam a todos com seu som em grandes concentrações de fiéis. 
Também subiram à tribuna para pronunciamentos o vice-prefeito de Santa Maria de Jetibá, Florentino Lauvers, e o presidente da Associação Evangélica Beneficente Espírito-Santense (Aebes) e pastor da Paróquia Unida, em Santa Leopoldina, Rodrigo André Seidel.

leia também:  Da Vitória propõe suspender aumento do preço de medicamentos

Apresentações musicais

Durante a solenidade, houve intervenções musicais de trombonistas, participantes do encontro. Os hinos nacional e capixaba, além de outras canções, foram executados pelo grupo de metais da Sociedade Musical Rio das Pedras Pommerisch Groutfrunn, de Santa Maria de Jetibá. Ao final, os trombonistas fizeram apresentação sob a regência de Armindo Klitzke, Rafael Pagung e Orlando Lemke.

O pastor vice-sinodal do Sínodo Espírito Santo a Belém, pastor Sidney Retz, ressaltou que a música sempre esteve presente em todos os tempos e lugares, e nos textos da Bíblia, nos cultos, nas religiões, em vários momentos da história religiosa. Lembrou que nestes 176 anos em solo capixaba, a Igreja Luterana sempre recebeu apoio dos trombonistas, que desempenharam papel importante para a igreja, nos cultos, celebrações, eventos culturais e sociais.

Mesa

Além do deputado Adilson Espindula, fizeram parte da mesa, o vice-prefeito de Santa Maria de Jetibá, Florentino Lauvers; o prefeito de Santa Leopoldina, Romero Endringer; os vereadores Joélio Abeldt (Santa Maria de Jetibá); Madalon e Dequinha (Santa Teresa); Daniel Etcheverry (Piúma); pastor vice-sinodal do Sínodo Espírito Santo a Belém e pastor da Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em São Sebastião, Santa Maria de Jetibá, Sidney Retz; presidente Associação Evangélica Beneficente Espírito-Santense (Aebes) e pastor da Paróquia Unida, Santa Leopoldina, Rodrigo André Seidel; pastor da Paróquia Evangélica de Confissão Luterana, em Santa Maria de Jetibá, Valdeci Foester; e o presidente da Associação Obra Acordai Capixaba, Armindo Klitzke.

leia também:  Tribuna Popular aborda o turismo no Caparaó

Homenagem com placa

Associação Obra Acordai Capixaba.

Homenageados com a Comenda Maurício de Oliveira

Adelino Wolfram
Armim Koeler
Avelino Hell
Belmiro Schwanz
Edgar Kempin
Edivaldo Dettmann
Eraldo Braun
Erineu Plaster
Gilcimar Görl
Glorinha Henke
Helmar Potratz
Hugo Alberto Kempim
Irenilto Kruger
Izidoro Boldt
Laís Trabach de Jesus
Lucas Pereira Rossmann
Luiz Antônio de Oliveira
Luiz Guilherme Flegler
Marcelo Böning
Marcia Böning
Marcilio Bartke
Renato Estrelof
Rogério Lemke
Rogério Stein
Rubens Pagung
Simone Vesper Binow
Theodomar Fleger 
Valdemar Boening
Valdenir Falk Tesch
Waldemiro Kempin
Homenageados com certificados
Armindo Klitzke
Daniela Bueke Knack
Edineu Neimog
Edivaldo Binow
Emanuely Henke Ponath
Genielson Janke 
Michel Miertschink
Miguel Potin
Orlando Lemke
Rafael Pagung
Scheila Kempin
Sigmar Miertschink
Solemar Schwanz
Waldeci Wolfgran
Welton Kruger

Fonte: Assembléia Legislativa do ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!