conecte-se conosco


Policial - ES1.com.br

Lista de professores que utilizam diplomas falsos será enviada para secretarias de Educação

Publicado em

Um professor e coordenador de um curso de pós-graduação de um instituto de educação de São Mateus, no norte do Estado, foi preso na quinta-feira (11) durante a operação Lato Sensu, um desdobramento da Operação Mestre Oculto. Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva, expedido pela Justiça. O professor foi encaminhado para a Penitenciária Regional de Linhares.

Além dessa prisão, a operação, deflagrada pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), cumpriu quatro mandados de busca e apreensão em São Mateus – sendo dois na faculdade e dois nas residências dos investigados. Foram apreendidos computadores, celulares e documentos. O material apreendido será analisado pelo Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB-LD) do MPES.

O MPES chegou aos dois alvos da operação após colaboração premiada envolvendo investigados nas fases anteriores da Operação Mestre Oculto.

A ação desta quinta-feira é a quinta fase da Operação Mestre Oculto, deflagrada inicialmente em 25 de julho de 2018, com o objetivo de desarticular um esquema criminoso para obtenção de diplomas de curso superior, visando especialmente à nomeação em cargos públicos. A nova etapa da operação recebeu o nome de “Lato Sensu” devido à certificação falsa em pós-graduação.

leia também:  PCES desarticula organização criminosa e prende um dos principais fabricantes de armas da Serra

A operação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Norte) e pela Promotoria de Justiça de Rio Bananal, com o auxílio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES e da Polícia Militar de São Mateus.

Pessoas que compraram diplomas falsos

Além da nova fase da operação, o MPES avançou no cerco a pessoas que usam documentos falsos, inclusive para dar aulas. O Gaeco-Norte encaminhará para a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) e para as secretarias municipais de Educação uma lista daqueles que, de algum modo, receberam diploma de graduação, de pós-graduação e de cursos livres de forma irregular. A lista foi obtida pelo MPES após colaboração premiada, envolvendo investigados nas diferentes fases da Operação Mestre Oculto.

Caberá à Sedu e às prefeituras apurarem a situação individual dos nomes que estão listados para esclarecer se o documento utilizado era ou não produto de fraude, e buscar junto ao MPES ou à Polícia Civil a responsabilização dos fraudadores. Eles poderão responder por crime de falsidade e até por ato de improbidade administrativa.

leia também:  PCES e PMES realizam operação e prendem cinco pessoas

Até agora, as diferentes fases das investigações em curso apontam que mais de 4 mil diplomas de graduação e certificados de pós-graduação e cursos livres foram obtidos com fortes suspeitas de fraude na Região Norte do Estado. Comprovadamente, houve simulação de aulas e de atividades dos alunos.

As investigações envolvendo as duas primeiras fases da Mestre Oculto avançaram e se desdobraram nas operações Estória, Viúva Negra e Lato Sensu, também deflagradas pelo MPES. Donos de instituições de ensino localizadas no Norte do Estado foram presos, além de pessoas ligadas ao esquema criminoso de compra e venda de diplomas e certificados. O MPES já denunciou à Justiça 11 pessoas investigadas nas duas fases da Operação Mestre Oculto. 

Folha Vitória

Policial - ES1.com.br

DHPM prende suspeita de matar mulher e ferir outra em Vila Velha


A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), prendeu em flagrante uma mulher de 23 anos, suspeita de ser a autora dos disparos que vitimaram outras duas mulheres, na manhã dessa quinta-feira (13), no bairro Aribiri, em Vila Velha. A suspeita foi presa também nessa quinta-feira (13), na Rodoviária de Vitória, no momento que tentava fugir para a Bahia.

As diligências que culminaram na prisão contaram com a participação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha, Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Delegacia Regional (DR) de Colatina e tiveram início assim que a Polícia Civil tomou conhecimento do crime. Na manhã dessa quinta-feira (13), duas mulheres foram vítimas de disparos de arma de fogo, sendo que uma delas foi a óbito ainda no local do fato e a outra foi socorrida.

Por volta das 21h30, a autora dos disparos foi localizada e presa. Segundo os levantamentos da DHPM, o crime foi motivado por desacertos relacionados ao tráfico de drogas na região, pois as vítimas estavam comercializando entorpecentes e tinham que prestar contas à autora, que atua como uma espécie de gerente do tráfico. No entanto, ao contabilizar, elas constataram que faltava droga e não havia dinheiro suficiente para fazer o pagamento.

“Durante o dia todo, o agente colheu informações de que a autora estava sendo ameaçada pelo tráfico local e não poderia retornar ao bairro, pois ela cometeu o homicídio sem ‘consentimento’ e ainda tinha sumido com a arma do crime. Nós descobrimos que ela ia tentar fuga para a Bahia. Contamos com o apoio da PRF para montar pontos de bloqueio, bem como minha equipe se deslocou ao interior do Estado. Contudo, ela foi presa à noite, quando tentava embarcar em um ônibus para Eunápolis (BA)”, relatou a titular da DHPM, delegada Raffaella Aguiar.

Ainda na manhã do crime, outra suspeita, de 40 anos, foi presa e conduzida à DHPM. “Durante todo o dia, foram realizadas diligências no intuito de obter indícios palpáveis quanto ao envolvimento dela nos crimes. Entretanto, não foi possível neste primeiro momento. Porém, ficou constatado o envolvimento dela com o tráfico, o que gerou a autuação em flagrante pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas”, informou a delegada. 

As duas mulheres foram encaminhadas ao Sistema Prisional. As investigações continuam, a fim de apurar as circunstâncias e a autoria dos crimes em sua totalidade.

Texto: Camila Ferreira

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]

Atendimento à Imprensa:
Matheus Zardini / Camila Ferreira
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693 / (27) 99231-5157 

leia também:  Entregador de pizza tem moto roubada em São Gabriel da Palha
Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma