conecte-se conosco


Estado

Incaper faz transmissão ao vivo sobre avicultura caipira

Publicado em


.

Nessa quarta-feira (20), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) realizou uma transmissão ao vivo no Instagram oficial @incaper_es. O tema “Avicultura caipira: produção e curiosidades” foi abordado pela zootecnista Maíra Formentini

Na ocasião, a extensionista do Incaper esclareceu dúvidas dos seguidores sobre diversas questões, como alimentação, saúde das aves, mercado, manejo e estrutura dos galinheiros. Curiosidades como a diferença entre frango orgânico e frango caipira e o porquê das diferentes colorações nas cascas dos ovos também foram abordadas.

“O que determina a cor da casca é a genética, não importa a alimentação que se dá à ave. O que pode mudar se diferenciar com a alimentação é a cor da gema. Os ovos caipiras têm a gema mais amarela e firme”, esclareceu Maíra Formentini.

A criação de galinhas caipiras é uma atividade que interessa a muitos produtores rurais, não apenas para a produção de ovos e carne, mas também para a adoção de práticas agroecológicas na propriedade. Além de produtores, técnicos, estudantes e outros profissionais interessados no tema assistiram à transmissão.

“A galinha caipira deve ter boa linhagem. A ave precisa de espaço para pastar, espojar, que é o ato da galinha se deitar e sacudir as penas na areia ou na terra, ciscar, empoleirar. O ambiente precisa ser adequado tanto para as aves quanto para o produtor, para que ele possa fazer o manejo”, explicou Maíra Formentini.

leia também:  Novo documento reúne medidas econômicas para enfrentamento à Covid-19

Com quatro anos de Incaper e três anos trabalhando especificamente com avicultura caipira agroecológica, Maíra Formentini coordena atualmente a Unidade Experimental de Produção Animal Agroecológica (UEPA), localizada na Fazenda Experimental do Incaper em Linhares. Lá, são desenvolvidos trabalhos diversos com abelhas com e sem ferrão, aves e bovinos, entre outros.

Segundo a zootecnista do Incaper, outro fator importante para o melhor desempenho das aves caipiras é a alimentação. Um dos seguidores que estavam acompanhando a transmissão enviou uma pergunta sobre a substituição da soja na ração para a avicultura caipira agroecológica.

“A soja da ração é transgênica, e o produtor que busca a certificação orgânica não a utiliza. Neste caso, a opção é usar feijão torrado, que substitui quase 100% da soja na ração. É essa prática que a gente utilizada na UEPA. Outra opção é a folha de mandioca, cortada e triturada, que também vai fornecer proteína para a ave”, disse a extensionista do Incaper.

A transmissão completa sobre avicultura caipira foi salva no Instagram do Incaper. A primeira parte com pouco mais de meia hora de duração, e a segunda parte com cerca de 25 minutos. Quem não assistiu à transmissão ou quem quiser ver novamente pode acessar o perfil oficial do Incaper no Instagram: @incaper_es

leia também:  SEDH participa de debate on-line sobre proteção à criança e ao adolescente na pandemia

Transmissões ao vivo

A transmissão ao vivo sobre avicultura caipira no Instagram faz parte do projeto desenvolvido pela Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper (CCOM), que tem como objetivo levar informações aos diferentes públicos atendidos pelo Instituto especialmente neste período de pandemia. Toda quarta-feira, às 17h, um tema diferente é apresentado à sociedade. Os internautas participam encaminhando perguntas através da própria rede social usando a ferramenta de direct ou durante a transmissão ao vivo, na caixa de perguntas. Para ter acesso, basta seguir @incaper_es.


Texto: Thiago Borges (estagiário)

Informações à imprensa:
Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper
Juliana Esteves
(27) 3636-9868 / (27) 3636-9865
[email protected]
Facebook: Incaper
Instagram: @incaper_es

Fonte: Governo ES

Estado

Banestes libera mais de R$ 1 bilhão em crédito no Espírito Santo


.

Com o objetivo de apoiar a população capixaba e contribuir para a redução dos impactos econômicos da pandemia do novo Coronavírus, o Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) vem atuando fortemente na oferta de linhas de crédito e outras soluções financeiras para atendimento à sociedade, com foco tanto para empresas e setor industrial quanto para pessoas físicas.

Desde o início de 2020, o Banestes já disponibilizou um montante superior a R$ 1 bilhão em créditos, que somados correspondem a mais de 70 mil contratos de pessoas físicas e jurídicas atendidas.

Confira abaixo o balanço das principais ações de auxílio econômico do Banestes frente à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Os dados são referentes ao período de março até maio de 2020.

Linha de Crédito Emergencial Bandes e Banestes:

Para esta linha de crédito, que atende a empresas de todos os portes e setor industrial, com taxas a partir de CDI + 0,32% ao mês, o Banestes disponibilizou o montante de R$ 250 milhões. Até o momento, o Banestes já liberou mais de R$ 130 milhões em recursos nesta linha, em um total de 1.205 contratos. Além disso, estão em análise pelo Banestes outros 800 contratos, aproximadamente, que chegam ao valor total aproximado de R$ 120 milhões.

leia também:  Assinatura de memorando prevê instalação de refinaria e fábrica de lubrificantes e asfalto no Estado

Linha de Crédito Aderes e Banestes – Nossocrédito Emergencial (Programa Nosso Crédito):

A linha Nossocrédito Emergencial, com taxas de 0,65% a 0,95% ao mês, já liberou mais de R$ 10 milhões em recursos, em 718 contratos com empreendedores de pequeno porte.

Linhas do Fundo de Aval – (01) Microcrédito Emergencial Covid-19:

Na linha de crédito de até R$ 5 mil, com taxa zero, cujo foco são microempreendedores individuais (MEIs), já foram liberados o valor total de mais de R$ 2,7 milhões, distribuídos em 554 operações de crédito.

Linhas do Fundo de Aval – (02) Capital de Giro Covid-19:

A linha de crédito de até R$ 31,5 mil, com taxa de CDI, cujos recursos são destinados especificamente para o pagamento de folhas de pagamentos de pequenas e médias empresas, já teve liberação de R$ 270 mil, distribuídos em 25 contratos com empresas do Estado.

Reparcelamento de operações de crédito em até 180 dias:

Condição única no mercado, tanto para clientes pessoa física (PF) quanto pessoa jurídica (PJ). Ao total, o Banestes já realizou mais de R$ 400 milhões em repactuação de contratos.

leia também:  Novo documento reúne medidas econômicas para enfrentamento à Covid-19

A divulgação do balanço será realizada semanalmente pelo Banestes, no site oficial do banco. Para mais informações sobre as ações de auxílio econômico do Banestes, acesse: www.banestes.com.br/estamosjuntos .

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Banestes
Rafaella Rodrigues
[email protected] 

Fonte: Governo ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: O conteúdo está protegido !!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma
Powered by