conecte-se conosco


Saúde - ES1.com.br

Hemoes explica como é feita a captação de plaquetas e pede que mais pessoas doem

Publicado em

O concentrado de plaquetas é um dos componentes do sangue mais utilizados para transfusão no dia a dia dos 51 hospitais atendidos pelo Hemocentro do Espírito Santo (Hemoes). A manutenção do estoque deste hemocomponente, no entanto, é um grande desafio, pois a vida útil da plaqueta após coletada é de cinco dias, enquanto o concentrado de hemácias dura de 30 a 35 dias e o crioprecipitado e o plasma fresco congelado chegam a durar um ano.
Segundo a diretora do Hemoes, Rachel Lacourt Costa, as plaquetas desempenham um importante papel na coagulação sanguínea. Ela, que é médica hematologista, explica que quando há queda acentuada do número de plaquetas no sangue, ou quando esse hemocomponente não funciona adequadamente, há risco de sangramentos incontroláveis, sendo necessária a transfusão de concentrado de plaquetas. Situações assim são frequentes, por exemplo, em pacientes com leucemia, dengue grave e pessoas submetidas a cirurgia cardíaca.
De acordo com Rachel, o concentrado de plaquetas pode ser obtido por meio da coleta de sangue total ou por aférese. Após a coleta do sangue total, o sangue passa por um processo de centrifugação e é separado em diversos hemocomponentes, sendo um deles o concentrado de plaquetas. Já na coleta de plaquetas por aférese, o sangue retirado do doador passa por uma máquina que extrai seletivamente as plaquetas e devolve os demais componentes ao doador.
“Por meio da coleta de sangue total, de cada doação de sangue é retirada uma unidade de plaquetas. Já o método de aférese permite coletar oito unidades de plaquetas de um único doador. Se considerarmos que para cada 10 kg de peso corporal é necessária uma unidade de concentrado plaquetas, o número de doadores por aférese que precisaremos para ajudar um paciente de 70 kg, por exemplo, é bem menor do que o número de doadores de sangue total”, complementou a diretora técnica do Hemoes.
Rachel Costa esclarece que as plaquetas colhidas por aférese oferecem menor chance de reação porque o paciente que precisa da transfusão consegue receber uma quantidade maior desse hemocomponente proveniente de um único doador. Outro benefício da aférese é que o doador pode ser submetido ao procedimento quatro vezes por mês, respeitando o limite de 24 doações ao ano, enquanto o doador de sangue total pode doar no máximo quatro vezes por ano, se for homem, e três vezes se for mulher.
“Apesar de a doação demorar um pouco mais, o doador por aférese pode ser submetido ao procedimento toda semana, se necessário. Na prática, no entanto, isso se torna inviável para muita gente, já que as pessoas têm trabalho e outras atividades que as impossibilitam de dedicar esse tempo. Por isso, o ideal é que mais pessoas sejam doadoras por aférese e mantenham seu cadastro no hemocentro atualizado. Hoje, temos mil voluntários cadastrados para doação por aférese, o que é ótimo, mas com muitos deles não conseguimos entrar em contato”, complementou a diretora do Hemoes.
Para manter o cadastro atualizado, o doador por aférese pode entrar em contato com o Hemoes por e-mail, pelo endereço [email protected], ou pelo telefone (27) 3636-7902.

leia também:  São Gabriel da Palha tem caso de malária confirmado

Quem pode doar

A doação por aférese é feita na unidade do Hemoes de Vitória. Todo doador deve apresentar um documento original com foto. Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade, sendo que a primeira doação deve ter sido feita obrigatoriamente até os 60 anos. Menores de 18 anos só podem doar com a autorização dos responsáveis legais.
Para fazer a doação por aférese, o voluntário precisa ter feito doação de sangue total pelo menos uma vez no hemocentro estadual. Normalmente, a equipe do Hemoes pergunta aos voluntários que doam sangue se eles querem se candidatar à doação por aférese. Se a resposta for sim, é feita a avaliação para verificar se a pessoa tem um acesso venoso adequado para esse tipo de coleta.
Segundo a diretora técnica do Hemoes, Rachel Costa, o tempo gasto pelo voluntário na doação da bolsa de sangue total é de aproximadamente 1h20, sendo cerca de 15 minutos de coleta e o restante no atendimento prévio. Já a doação por aférese leva em torno de 2h30, sendo que o doador fica entre 70 e 90 minutos na coleta, por isso esse tipo de doação costuma ser agendada.
“Quando o doador de plaquetas chega, fazemos um hemograma para saber a quantidade de plaquetas no sangue. A maioria das pessoas tem entre 150 mil e 400 mil plaquetas. A partir dessa avaliação, e considerando o peso e a altura do voluntário, é feito o cálculo de quantas mil plaquetas poderão ser coletadas do doador sem prejudicá-lo”, detalhou a diretora técnica do Hemoes, Rachel Costa.

leia também:  Covid-19: Brasil registra 263 óbitos e 36.750 novos casos em 24 horas

Onde doar

– Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes)
Tel. 3636-7900/7920/7921 – Avenida Marechal Campos, nº 1.468, Maruípe, Vitória. Funciona de segunda a sexta-feira, das 7 às 19h, com cadastramento do doador até as 18h20; e sábado, das 7h às 18h, com cadastro até as 17h20. 

Governo ES

Saúde - ES1.com.br

Covid-19: Brasil registra 74,5 mil casos e 396 mortes em 24 horas

O Brasil registrou, em 24 horas, 74,5 mil novos casos de covid-19 e 396 mortes pela doença, informa o levantamento diário feito pelo Ministério da Saúde.

Desde o início da pandemia, o país acumula 32,6 milhões de casos confirmados da doença e 672,4 mil mortes registradas. Os casos de pacientes recuperados somam 31 milhões (95,2% dos casos).

O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados (5,7 milhões) e de mortes (171,2 mil). Em seguida estão Minas Gerais (3,6 milhões de casos e 62,2 mil óbitos); Paraná (2,6 milhões de casos e 43,8 mil óbitos) e Rio Grande do Sul (2,5 milhões de casos e 40,1 mil óbitos).

Boletim epidemiológico da covid-19 Boletim epidemiológico da covid-19

Boletim epidemiológico da covid-19 – Ministério da Saúde

Vacinação 

Conforme o “vacinômetro” do Ministério da Saúde, 450,7 milhões de doses de vacinas contra contra a covid-19 já foram aplicadas, sendo 177,4 milhões, primeira dose; 157,7 milhões, segunda dose, além de 95,2 milhões de doses de reforço e de 10,9 milhões da quarta dose ou segunda de reforço.

leia também:  Estudo identifica 110 genes relacionados com o câncer de mama

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2