conecte-se conosco


Estado - ES1.com.br

Guarapari recebe Campeonato Brasileiro Feminino de Basquete em Cadeira de Rodas

Publicado em


O Espírito Santo vai sediar o Campeonato Brasileiro Feminino de Basquete em Cadeira de Rodas. A competição, que é realizada pela Confederação Brasileira de Basquetebol em Cadeiras de Rodas (CBBC), com o apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), vai acontecer no Sesc de Guarapari, entre a próxima quarta-feira (17) e o dia 21 de novembro.

A equipe capixaba do Instituto Reabilitacional e Esportivo para Deficientes Físicos do Espírito Santo (Irefes)/Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport) vai ser a representante do Estado com nove atletas que são contempladas pelo Bolsa Atleta, da Sesport.

Ao todo, serão seis times do País disputando a competição: Adesul, do Ceará; AAbane, da Bahia; Valkirias APP, de Minas Gerais; All Star Rodas Belém e All Star Rodas Pará, ambos do Pará; e Irefes/Sesport, do Espírito Santo. As esportistas Bisa Silva, Bruna Rosa, Evilania de Moraes, Florinda Heâncio, Geisiane Maia, Jéssica Santana, Maria do Carmo Quaresma, Maxcileide Ramos e Silvelane Silva são as bolsistas que vão representar o Estado. A equipe capixaba utiliza o Centro de Treinamento Jayme Navarro de Carvalho, na sede da Sesport, para a realização dos treinos.

leia também:  Fapes é homenageada em evento da FindesLab

O coordenador e treinador do time do Irefes/Sesport, Martoni Sampaio, ressaltou a importância de sediar uma competição de nível nacional. “Temos um programa na gerência sobre o empoderamento da mulher com deficiência, dentro do programa “Agenda Mulher”. Então, ter esse campeonato em nosso Estado é de extrema importância. Nosso maior objetivo é zelar pelas vidas. Por meio das competições, elas podem buscar a sua emancipação, além da superação de algum trauma ou preconceito sofrido durante a vida”, disse Martoni Sampaio.

Os jogos vão ter entrada gratuita e também serão transmitidos por meio do Canal CBBC TV no YouTube.  

Bolsa Atleta 

Neste ano, o Programa Bolsa Atleta está beneficiando 151 atletas e paratletas de alto rendimento, 30 a mais que no ano passado, alcançando um recorde no número de bolsas concedidas. O auxílio financeiro mensal varia de acordo com a categoria do atleta dentro do edital, sendo R$ 500 (estudantil), R$ 1.500 (nacional), R$ 2 mil (internacional) e R$ 4 mil (olímpico). O investimento total da Sesport no programa é de R$ 2,3 milhões.

leia também:  Banestes vai operar nova linha de microcrédito do Programa Nossocrédito

O valor recebido pelo atleta pode ser utilizado para cobrir gastos com alimentação, assistência médica, odontológica, psicológica, nutricional e fisioterápica, medicamentos, suplementos alimentares, transporte urbano ou para participar de treinamentos e competições, além da aquisição de material esportivo.

Informação à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesport
Denys Lobo / Rodolfo Mageste
(27) 3636-7027 / (27) 99802-3645 / (27) 3636-7027 / (27) 99309-9053
[email protected]
Facebook: Sesport-ES
Instagram: @sesportesoficial 

Fonte: Governo ES

Estado - ES1.com.br

Procon-ES notifica Uber por recusa em transportar cão-guia


O Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) notificou, esta semana, a Uber do Brasil Tecnologia Ltda. Isso porque o Procon-ES recebeu denúncias de que alguns motoristas do aplicativo estariam se negando a transportar cães-guias que acompanham pessoas com deficiência visual, ferindo, assim, a Lei nº. 13.146/2015, que instituiu a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

Segundo informações trazidas pelos consumidores, os motoristas aceitam a viagem, mas ao se deparar com a presença do cão-guia recusam a viagem e alegam não serem obrigados a transportar o animal. Tal prática viola os direitos básicos do consumidor.

De acordo com o diretor-presidente do Procon-ES, Rogério Athayde, proibir o transporte de cão-guia pelos motoristas do Aplicativo Uber é uma prática abusiva e desleal, sendo dever do Instituto zelar pelo direito desses consumidores.

“Essa atitude fere o respeito à dignidade do consumidor, um princípio a ser observado mirando preservar e garantir a harmonia na relação de consumo. Além disso, o consumidor é considerado vulnerável diante do fornecedor de produtos e serviços. Desta forma, é obrigação do Procon-ES proteger os consumidores em geral, bem como coibir quaisquer práticas que atentem contra os direitos básicos dos consumidores”, pontuou.

leia também:  Idaf: Gerência local de Vila Velha vai funcionar temporariamente em novo endereço

Além disso, prosseguiu Athayde, a recusa em transportar os animais se torna uma barreira à acessibilidade e à inclusão da pessoa com deficiência visual. “A prática de recusar transportar o cão-guia, além do ato de discriminação, é uma barreira que impede o exercício do direito da pessoa com deficiência à acessibilidade. Tal prática deve ser veementemente combatida, derrubando as barreiras que impedem as pessoas com deficiência de exercerem com gozo seus direitos à acessibilidade, liberdade, locomoção e à informação”, informou.

O Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor requer que, no prazo de 10 dias úteis, a partir do recebimento da notificação, que a empresa apresente os devidos esclarecimentos quanto à recusa dos motoristas em transportar pessoas com deficiência visual acompanhadas de cão-guia, devendo informar a política em relação a esses clientes.

A empresa também deve apresentar as ações adotadas para que pessoas com deficiência tenham direito à igualdade de acesso, além da resposta às queixas de consumidores que tenham sofrido discriminação ao usar seus serviços.

leia também:  Vinte mil doses da Coronavac chegam ao Estado neste sábado (08)

O Procon-ES recomenda ainda que a Uber do Brasil informe aos motoristas do aplicativo quanto à obrigatoriedade em transportar pessoas com deficiência visual acompanhadas de cão-guia, conforme determinação legal prevista no artigo 1º, da Lei nº. 11.126/2005.

Caso não sejam cumpridas as ações requeridas na notificação, será instaurado procedimento administrativo de ofício para constatação da prática infrativa perpetrada e posterior aplicação de sanção.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Procon-ES
Amanda Ribeiro/Renata Alves (respondendo)
[email protected]

Fonte: Governo ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma