conecte-se conosco


Política Estadual - ES1.com.br

Getúlio Filho se destaca como vereador com o mandato mais equilibrado de São Gabriel

Publicado em

No dia 2 de março, o portal ES1.com.br lançou uma enquete com a pergunta “Qual vereador de São Gabriel da Palha teve o mandato mais equilibrado em 2017?”, nas opções disponíveis para voto, estavam o nome de todos os vereadores que passaram pelo Poder Legislativo da cidade no ano de 2017.

Centenas de pessoas opinaram no período de 15 dias, cada pessoa pôde usar os critérios que mais categorizou como adequado para opinar por um dos vereadores, o resultado trouxe Getúlio Filho em primeiro lugar com 33,2% dos votos; Tiago Rocha em segundo lugar com 27,2% dos votos; Tiago dos Santos com 16,6% dos votos.

A enquete contou com uma trava que permitia que apenas um voto fosse dado por IP (ou Internet Protocol), por exemplo, em uma residência com 10 pessoas, onde a internet possui o mesmo IP, apenas uma pessoa pôde votar, evitando assim a manipulação dos resultados, como por exemplo, uma pessoa votando por todos da casa ou até mesmo da cidade. O IP é uma identificação única para cada conexão com internet. Podemos imaginá-lo como um documento de identificação único, como o CPF, por exemplo.

 

Veja também a porcentagem completa de todos vereadores:

 

Apresentamos aqui o resultado: Getúlio Filho (33.2226%); Tiago Rocha (27.2425%); Tiago dos Santos (16.6113%); Leandro Bragato (8.6379%); Luiz Vial (2.99%); Della (2.6578%); Waguinho da Saúde (2.6578%); Braz Monfardini (1.3289%); Guinha (0.9967%); Guto Le Gutê [Suplente] (0.9967%); Junior Pinaffo (0.6645%); Zé Roque [Suplente] (0.6645%); Delizete (0.3322%); João Teixeira (0.3322%); Sargento Aguilar [Suplente] (0.3322%); Toninho Lopes (0.3322%).

leia também:  Nova Mesa Diretora da Câmara será eleita no próximo dia 26


camera_enhance (Crédito: .)


E na prática, no dia a dia, como anda a atuação legislativa de cada vereador?

A equipe do jornal Hoje Notícias apurou junto a Câmara Municipal de São Gabriel da Palha o desempenho dos vereadores na casa de leis durante todo o ano de 2017, até 13 de março de 2018, levando em consideração o quantitativo de indicações e projetos de leis de cada vereador.

 

Indicações

Indicação é o instrumento legislativo aprovado pelo Plenário ou pela Mesa Diretora cuja finalidade é a de sugerir que outro órgão (geralmente a Prefeitura) tome as providências que lhe sejam próprias.

Entre as indicações propostas pelos vereadores estão reparos de calçamentos, instalação de quebra-molas, pagamento de exames de DNA, reforma e ampliação da casa da mulher, aumento no número de vagas para deficientes, construção de escola, criação de programa de terapia, patrolamento e cascalhamento em estradas, instalação de câmeras de monitoramento em distritos do município, instalação de torre de telefonia móvel, troca de lâmpadas, construção de calçada cidadã, aquisição de veículos, entre outros.

Os números obtidos foram transformados em um gráfico, para simplificar o entendimento do ranking.

No gráfico de Indicações, assim como na enquete, quem aparece em primeiro lugar é Getúlio Filho, que realizou 67 indicações; em segundo lugar vem o vereador Leandro Bragato, que realizou 64 indicações e Tiago dos Santos ficou na terceira posição com 40 indicações.

leia também:  Justiça suspende Comissão Processante e afastamento contra os vereadores Tiago dos Santos e Wagner Lucas dos Santos

 

Confira o quantitativo completo com todos os vereadores:

 

Apresentamos aqui o resultado apurado: Getúlio Filho (67); Leandro Bragato (64); Tiago dos Santos (40); Delizete (37); Braz Monfardini (29); Della (23); João Teixeira (22); Tiago Rocha (22); Toninho Lopes (22); Guinha (12); Luiz Vial (9); Waguinho da Saúde (2); Junior Pinaffo (1); Guto Le Gutê (0); Sargento Aguilar (0); Zé Roque (0).


camera_enhance (Crédito: .)


Projetos de Lei

Já os Projetos de Lei tratam-se de modelos de proposições que visam complementar a Lei Orgânica do Município e, dependendo da área temática, os estudos e os pareceres das Comissões pertinentes ao assunto deverão agregar ao processo legislativo. Para a aprovação de uma lei complementar haverá necessidade dos votos da maioria absoluta dos Vereadores.

Repetindo o desempenho nos outros dois gráficos (Resultado da Enquete e Indicações) Getúlio Filho aparece em primeiro lugar com 8 Projetos de Lei apresentados; assim como no gráfico de Indicações, o vereador Leandro Bragato ocupa a segunda posição com 5 Projetos de Lei, e em terceiro lugar Luiz Vial com 3 Projetos de Lei.

 

Confira o quantitativo completo com todos os vereadores:

 

Apresentamos aqui o resultado apurado: Getúlio Filho (8); Leandro Bragato (5); Luiz Vial (3); Braz Monfardini (2); Waguinho da Saúde (2); Della (1); Tiago dos Santos (1); Tiago Rocha (1); Toninho Lopes (1); Delizete (0); João Teixeira (0); Guinha (0); Junior Pinaffo (0); Guto Le Gutê (0); Sargento Aguilar (0); Zé Roque (0).


camera_enhance (Crédito: .)


Editora Hoje

Política Estadual - ES1.com.br

Associação reivindica direitos de pessoas com Down

Cerca de 300 mil pessoas no Brasil são portadoras da Síndrome de Down, de acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mundo, a incidência estimada é de um entre mil nascidos vivos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Para falar sobre direitos e acesso a tratamentos, a Comissão de Saúde recebeu, nesta terça-feira (5), a presidente da Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Síndrome de Down do Espírito Santo (Vitória Down), Lisley Sophia Nunes.

Dentre os maiores problemas apontados pela convidada está a alta demanda por cirurgias cardíacas. “O grande desafio que nós temos é a cirurgia cardíaca. Esse é um pedido que a gente vem fazer, porque 50% a 60% dos bebês (com a trissomia 21) nascem com cardiopatias congênitas graves. A gente tem poucos profissionais aqui no estado que são aptos a fazer a cirurgia e a gente tem um pós-cirúrgico que merece atenção”, afirmou.

Judicialização

A judicialização acaba muitas vezes sendo o caminho procurado pela família para garantir o acesso aos direitos da criança. “O que acontece muitas vezes? A gente tem que judicializar o pedido das famílias para garantir a cirurgia. A gente tem uma perda de bebês muito grande. Muitos vão a óbito porque eles não conseguem fazer a cirurgia em tempo hábil. E é comprovado que, quanto antes fizer, mais sucesso terá, e a gente sabe que terá uma vida normal dali pra frente”, argumentou.

leia também:  Proibida a cobrança de ingresso extra para PcD

Álbum de fotos da reunião

Diagnóstico

A convidada também apontou como demanda a melhora no diagnóstico da síndrome, que é feito por meio de um exame chamado cariótipo, que serve para verificar a quantidade e a qualidade dos cromossomos. “Por um tempo o Estado deixou de fazer e, sem a confirmação da Síndrome de Down, as famílias não conseguem acessar os direitos”, lamentou.

“Então ela fica com uma suspeita nos braços, ela anda com uma suspeita que é o filho, ela não sabe o que é Síndrome de Down, não sabe por onde começar porque não tem a garantia do exame e os médicos não fazem o diagnóstico clinicamente. Então a gente precisa que o Estado garanta o cariótipo para as crianças”, complementou.

Anticorpo

Outro pedido é a disponibilização de um anticorpo chamado palivizumabe. O imunizante é capaz de prevenir uma série de doenças respiratórias, como o vírus sincicial respiratório (VSR). “Hoje quem tem acesso a esse medicamento são apenas bebês com cardiopatias ou que nascem antes do tempo (prematuros). Então a gente pede que seja disponibilizado para todos bebês com a Síndrome de Down, dada toda essa dificuldade que eles têm e esse propensão a doenças respiratórias”, enfatizou.

leia também:  Governador participa da entrega de veículos para Apaes e Pestalozzis no ES

Pós-operatório

O deputado e médico Dr. Emílio Mameri (PSDB) concordou com as demandas apresentadas pela convidada e chamou a atenção para os cuidados pós-operatórios. “Nós temos aqui uma equipe boa de cirurgia cardíaca, mas precisamos aumentar. O que eu observei quando estive na Benificência Portuguesa, em São Paulo, é que é fundamental aprimorarmos o nosso pós-operatório”, avaliou. 

“No procedimento cirúrgico nós temos médicos capazes, competentes, que têm condições de fazer esses procedimentos com a mesma qualificação dos profissionais de São Paulo. Entretanto, o que nós não temos, e isso é o diferencial, são equipes de pós-operatório que possam acompanhar esses pacientes, avaliar detalhes pequenos, mas que são muito importantes e que, infelizmente, na maior parte das vezes, são a causa dos nossos óbitos em pacientes operados”, concluiu o parlamentar.

Fonte: Assembléia Legislativa do ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2