conecte-se conosco


Educação - ES1.com.br

França baixará para três anos idade de escolarização obrigatória

Publicado em

A França baixará para três anos a idade de escolarização obrigatória – que é atualmente de seis anos – a partir do período letivo 2019-2020, anteciparam nesta terça-feira, 27, fontes do Palácio do Eliseu.
O presidente francês, Emmanuel Macron, que fará o anúncio, tem a intenção de “fazer da escola o lugar da igualdade real”, ao mesmo tempo que pretende que essa formação prévia à entrada no ensino fundamental “não seja considerada uma forma de creche universal”.
“O objetivo é afirmar a identidade própria da escola maternal como uma verdadeira escola, dirigida à aquisição da linguagem”, disseram as mesmas fontes.
Atualmente, a escolarização na França é obrigatória desde os 6 até os 16 anos.
No entanto, a taxa de crianças já escolarizadas aos 3 anos é muito alta, superior a 97%, o que levou alguns especialistas a qualificarem a medida de “gesto simbólico”, sem grande conteúdo real.
Os veículos de imprensa franceses lembram hoje que a taxa de escolarização nessa essa idade varia muito segundo o local, já que cai até 70% nos territórios de ultramar e 87% na ilha da Córsega, enquanto em Paris chega próximo aos 93%.
O governo calcula que a entrada da medida em vigor, a partir do começo do ano letivo de 2019, criará 800 novos postos de trabalho.

leia também:  São Gabriel recebe prêmio da Editora Moderna por desempenho no Ideb

Agência Brasil

Educação - ES1.com.br

Parceria com Ifes oferecerá 840 bolsas em cursos de aperfeiçoamento e de especialização

Vagas são destinadas a professores da rede pública de ensino dos municípios de Baixo Guandu, Marilândia, Colatina e Linhares (ES)

O projeto de Formação de Educadores da Rede Pública desenvolvido pela Fundação Renova, em parceria com o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), disponibilizará cerca de 840 bolsas em cursos de Aperfeiçoamento e de Especialização, e 21 bolsas para o programa de Mestrado e Doutorado para professores da rede pública de ensino. As vagas serão oferecidas a profissionais de Baixo Guandu, Marilândia, Colatina e Linhares, no Espírito Santo.

Os cursos têm como objetivo promover a formação, em nível de pós-graduação, de educadores, sendo eles professores, gestores e representantes comunitários que atuem nas escolas públicas da educação básica dos municípios contemplados. Além de capacitar em diferentes níveis de formação com ações práticas que resultem em produtos educacionais, gerando assim impactos reais para a escola e o município.

Serão disponibilizadas 700 vagas para o curso de Aperfeiçoamento em Metodologias de Educação Ambiental e 140 vagas para o curso de Especialização em Educação Ambiental. A previsão é que as inscrições sejam abertas no segundo semestre de 2022 e os cursos iniciados no primeiro semestre de 2023.

leia também:  Cultura, cidadania e serviços gratuitos durante Ação Integrada pela Cidadania em Terra Vermelha

O projeto de Formação de Educadores da Rede Pública receberá um investimento total de cerca de R$10 milhões em recursos que serão repassados pela Fundação Renova.

Bolsas de Mestrado e Doutorado

O convênio também inclui 21 bolsas do programa de mestrado e doutorado do Ifes para pesquisas na área de educação socioambiental. Neste primeiro momento, foram concedidas sete bolsas de mestrado e sete de doutorado, que começaram em abril.

O programa prevê a oferta de outras sete bolsas de mestrado que serão disponibilizadas em 2023. Os primeiros contemplados foram selecionados entre os alunos que já haviam passado pela seleção interna do Ifes, no final de 2021, para os programas de mestrado e doutorado.

Com o programa, os bolsistas passam a integrar o projeto de Formação de Educadores em Educação Ambiental nas Escolas Capixabas do Rio Doce (também chamado de projeto Rio Doce Escolar) e vão desenvolver pesquisas com foco na produção de conhecimentos relacionados à formação de educadores, educação socioambiental e revitalização da Bacia do rio Doce.

leia também:  Em clima de muita alegria, Robinho Parteli inaugura salas de aula em Vila Valério

Fonte: Fundação Renova

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!