conecte-se conosco


Educação - ES1.com.br

Espírito Santo terá 70 novas creches

Publicado em

Ações para melhoria da qualidade da educação capixaba. A Secretaria de Estado da Educação (Sedu) divulgou, nesta terça-feira, 13, a abertura do chamamento dos municípios capixabas para obtenção de recursos financeiros, por meio do Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (Paes), para ampliação e melhoria da oferta de educação infantil. Serão R$ 50 milhões disponíveis para repasse, em 2018, para construção de 70 creches.
O repasse será realizado por intermédio de transferência financeira automática do Fundo Estadual de Apoio à Ampliação e Melhoria das Condições de Oferta da Educação Infantil no Espírito Santo (Funpaes).
“Serão investidos R$ 50 milhões de recursos próprios do Estado para serem transferidos para os municípios. O Fundo foi criado para permitir repasses voluntários e fortalecer o regime de colaboração entre o Estado e os 78 municípios capixabas. Atualmente, 31% das crianças, de 0 a 5 anos, são atendidas pelos municípios. A meta do Plano Nacional de Educação é o atendimento de 50%. Os munícipios não estão conseguindo atender adequadamente e expandir na medida do necessário. A ideia é apoiar para que eles possam acolher mais crianças nessa faixa etária e assim a gente possa qualificar a educação desde a creche até o Ensino Médio, cuidando para que tenhamos uma geração melhor formada no futuro”, explicou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.
O município interessado em participar do Programa de Ampliação da Oferta de Educação Infantil deverá fazer a adesão ao Paes e realizar a inscrição, entregando a documentação exigida, até o dia 30 de março de 2018.
A transferência de recursos se dará a partir da análise das solicitações e documentações apresentadas pelos municípios, dentro de prazo e condições estabelecidas em edital publicado pela Secretaria de Estado da Educação.
Os recursos vão contemplar ações de construção, reforma e ampliação de creches e escolas, aquisição de equipamentos e mobiliários, além de outros investimentos de relevante interesse voltados para a ampliação da oferta e melhoria da qualidade de ensino na educação infantil.
O Fundo Estadual de Apoio à Ampliação e Melhoria da Oferta da Educação Infantil tem a finalidade de ampliar e melhorar o acesso à educação das crianças de 0 a 5 anos, por meio da transferência de recursos financeiros aos municípios que fizerem adesão ao Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (Paes).

camera_enhance Secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha. (Crédito: Pedro Dutra)

Inscrições dos municípios

No ato da inscrição, os municípios interessados deverão entregar os documentos exigidos pelo edital em envelope lacrado. A documentação deverá ser encaminhada ao protocolo das Superintendências Regionais de Educação ou da Secretaria de Educação do Estado do Espírito Santo (Sedu), em dias úteis, no horário das 8 às 17 horas.
A documentação será analisada pelo Comitê de Acompanhamento e Avaliação, que se manifestará sobre a validade da inscrição.
O Comitê Deliberativo adotará, dentre outros, os seguintes critérios na análise dos planos de aplicação: municípios que apresentarem menor receita corrente líquida per capita; municípios que tenham maior número de famílias pobres e extremamente pobres com filhos na faixa de 0 a 5 anos; planos de aplicação que estipule início da execução até 31 de julho de 2018.
O resultado final das análises será comunicado pela Sedu aos municípios interessados.
O valor total disponível para repasse, em 2018, será de R$ 50 milhões, de recursos próprios. Os recursos poderão ser repassados aos municípios em até três parcelas, conforme disponibilidade financeira e orçamentária e avaliação do Comitê Deliberativo, devidamente respaldado pelo Comitê de Avaliação e Acompanhamento.
A transferência de recursos estará sujeita à prestação de contas, ficando os municípios obrigados a devolverem recursos financeiros recebidos e não aplicados ou aplicados em finalidade diversa daquela que constou no plano de aplicação.

Pacto pela Aprendizagem no ES

leia também:  Nesta terça, 21, tem palestra para alunos com tema da campanha Maio Amarelo

A melhoria dos indicadores educacionais dos estudantes da educação básica no Espírito Santo, envolvendo domínio de competências como leitura, escrita e cálculo adequado à idade e ao nível de escolarização, é o principal objetivo do Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (Paes).
A proposta do Paes é implantar ações envolvendo a união de esforços entre o Governo do Estado, as prefeituras, a sociedade civil e a iniciativa privada, com ações focadas nas salas de aula, que resultem em avanços significativos de aprendizagem dos estudantes do Ensino Fundamental.
As principais metas do Pacto são que 100% dos municípios façam a adesão até o final de 2018 e que as metas do Plano Estadual de Educação também sejam alcançadas.

camera_enhance O material didático padronizado já está sendo aplicado nas escolas. (Crédito: Pedro Dutra)

Material didático unificado

Visando à organização das redes (municipais e estadual), otimização de recursos e potencialização de resultados, ações como padronização de currículo e material didático para o Ensino Fundamental, formação de professores e implantação de um sistema de gestão escolar integrado entre Estado e municípios já estão sendo realizadas.
Neste ano, além da realização de formações para professores, foi realizada a confecção do material didático padronizado, que já está sendo aplicado em todas as escolas do 1º ano do Ensino Fundamental (municipais e estaduais), em 74 municípios.

Municípios que fizeram adesão o Paes

Atualmente, 56 municípios já fizeram adesão ao Paes e poderão contar com os recursos do Fundo Estadual de Apoio à Ampliação e Melhoria das Condições de Oferta da Educação Infantil no Espírito Santo.
Os 56 municípios são: Água Doce do Norte, Águia Branca, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Anchieta, Aracruz, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Itarana, Iúna, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Laranja da Terra, Linhares, Mantenópolis, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Mucurici, Muniz Freire, Muqui, Pancas, Pedro Canário, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Mateus, São Roque do Canaã, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante e Vila Pavão.
Ate o momento, esses são os 19 municípios que demonstraram interesse em fazer parte desse grande movimento pela educação: Afonso Cláudio, Apiacá, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Brejetuba, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Guarapari, Itaguaçu, Jaguaré, Marataízes, Nova Venécia, Pinheiros, Ponto Belo, Piúma, Presidente Kennedy, Serra, Vila Valério e Vila Velha.

leia também:  Sexualidade e gênero serão temas de aulas

Assessoria de comunicação/ Sedu

Educação - ES1.com.br

Dia D da Busca Ativa Escolar de Nova Venécia acontece às quintas-feiras

A Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seme), seguindo o cronograma do dia D da Busca Ativa Escolar, na quinta-feira (30), disponibilizou equipes para visita técnica aos Distritos de Cedrolândia e São Gonçalo, pela manhã e em bairros do município veneciano, no período da tarde. Foram recebidos  7 alertas, sendo 5 localizados com êxito.

A Seme implantou  a estratégia Busca Ativa Escolar no ano passado, com o objetivo de identificar, registrar, controlar e acompanhar crianças e adolescentes, em idade escolar obrigatória, de 4 a 17 anos que estão fora da escola.

A partir de abril deste ano, a Seme criou o dia D,  que acontece  semanalmente às quintas-feiras. O trabalho é desenvolvido  entre as Secretarias Municipais de Educação, Saúde e Assistência Social, cada uma atuando no âmbito de suas competências de forma integrada e articulada.

De acordo com a coordenadora da Busca Ativa, um cronograma é feito pelo setor com base nas informações inseridas, feita pela unidade escolar, na plataforma. “Os  dados da Plataforma nos permitem  identificar se o aluno está matriculado e não está frequentando as aulas”, disse. Segundo ela, outra forma de obtenção de informações é por meio dos agentes de saúde, que,  ao visitarem as famílias, acabam por identificar  alunos fora da escola.

leia também:  Alunos constroem balsa e aprendem conceitos da Matemática e Geografia

Além de trazer o aluno de volta para a escola, a estratégia monitora a criança e/ou adolescente para garantir sua permanência nas unidades escolares.

Sobre a estratégia
A Busca Ativa Escolar foi desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), em parceria com a União de Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com o apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde,  como estratégia para apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes, em idade escolar obrigatória, de 4 a 17 anos.

Fonte: Ascom|PMNV

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2