conecte-se conosco


Policial - ES1.com.br

Dia Nacional do Delegado de Polícia é comemorado nesta sexta-feira (03)

Publicado em


Há 180 anos, o Imperador Dom Pedro II promulgou a Lei 261, que criou o cargo de Delegado de Polícia para o município da Corte e para cada uma das províncias imperiais, criando os cargos de delegado e subdelegado. Naquela época, os delegados eram responsáveis por investigar, expedir mandados de prisão, arbitrar fianças e julgar casos menores. Atualmente, ele é o responsável técnico jurídico, cuja função é apurar os fatos que configuram ilícitos penais, identificando os autores da conduta delituosa e auferindo prova da materialidade delitiva.

Além disso, com o passar dos anos, foi-se criando novos tipos de delegacias, como as distritais, que têm atribuição de atender às ocorrências de uma região, e as especializadas, que são responsáveis para atuar de forma especial, nas particularidades de um crime específico ou em um conjunto de delitos correlatos. Elas foram desenvolvidas para realizar o atendimento de acordo com o crescimento da população e a evolução tecnológica da sociedade.

Entre os delegados que cuidam das delegacias especializadas, está Brenno Andrade, de 37 anos, que é responsável pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC). Ele, que está na Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) desde 2012, sonhava em cursar direito para atuar como delegado da Polícia Federal (PF).

“Após fazer e passar no concurso da PCES, eu desisti de continuar com esse sonho, pois estava ‘em casa’ e gostei da ideia de ficar próximo dos amigos e família”, contou Brenno Andrade.

leia também:  Batalhão de Ações com Cães divulga resultados operacionais de 2021

O titular da DRCC disse ainda que, logo que passou no concurso, atuou no núcleo de investigações especiais, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e, depois, na então Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha, ficando até 2018. Depois, foi transferido para a DRCC, onde está desde então.  

Já o delegado Eduardo Passamani, 42 anos, titular da Delegacia Especializada da Defesa do Consumidor (Decon), está na PCES há 14 anos, tendo se formado em Direito no ano de 2007, também pela FDV, e pós-graduado em Gestão em Segurança e Políticas Públicas, além de Especialização Lato Sensu, na Escola Superior do Ministério Público. Antes de ingressar na PCES, Passamani atuava como advogado.

Ele disse que o caso mais marcante da carreira dele foi a atual Operação Elétron, de 2021, que prendeu o administrador e interditou uma das maiores fábricas de fios elétricos do País, descobrindo irregularidades que podem estar aumentando o consumo de energia elétrica e colocando em risco a vida de consumidores.

“Pela dificuldade envolvendo a identificação das pessoas lesadas, localizar órgãos públicos ou de grande circulação de pessoas que correm risco de incêndio, adotar medidas para impedir tragédias, e o combate a uma organização criminosa que envolve pessoas com patrimônio elevado, tudo ao mesmo tempo, tem sido um grande desafio”, ressaltou o titular da Decon.

leia também:  12º Batalhão encontra droga em praia de Linhares

Brenno Andrade e Eduardo Passamani relataram que, apesar de não precisarem de nenhuma formação específica para atuar nas delegacias, procuram se manter sempre atualizados no que diz respeito à especialidade de cada unidade.

Eles destacaram também a importância da profissão de delegado para ajudar a sociedade, visto que o delegado de Polícia é o primeiro garantidor da aplicação da lei, trabalhando de forma técnica, dedicada e respeitando o estado democrático de direito.

“É o profissional que tem sempre o primeiro contato com o fato, que tem o “calor” do momento, o contato com a população. Um dia para celebrar sua importância é reconhecer a grandeza da profissão”, enfatizou o delegado Eduardo Passamani.

Dia do Delegado de Polícia

O Dia do Delegado de Polícia foi proposto pelo Deputado Federal Lorival Mendes, por meio da Lei nº 2.728/2011, e aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), da Câmara dos Deputados, no dia 12 de novembro de 2013.

Texto: Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi)

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]

Atendimento à Imprensa:
Matheus Zardini/Camila Ferreira
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693 / (27)99231-5157
[email protected]

Policial - ES1.com.br

DHPM prende suspeita de matar mulher e ferir outra em Vila Velha


A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), prendeu em flagrante uma mulher de 23 anos, suspeita de ser a autora dos disparos que vitimaram outras duas mulheres, na manhã dessa quinta-feira (13), no bairro Aribiri, em Vila Velha. A suspeita foi presa também nessa quinta-feira (13), na Rodoviária de Vitória, no momento que tentava fugir para a Bahia.

As diligências que culminaram na prisão contaram com a participação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha, Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Delegacia Regional (DR) de Colatina e tiveram início assim que a Polícia Civil tomou conhecimento do crime. Na manhã dessa quinta-feira (13), duas mulheres foram vítimas de disparos de arma de fogo, sendo que uma delas foi a óbito ainda no local do fato e a outra foi socorrida.

Por volta das 21h30, a autora dos disparos foi localizada e presa. Segundo os levantamentos da DHPM, o crime foi motivado por desacertos relacionados ao tráfico de drogas na região, pois as vítimas estavam comercializando entorpecentes e tinham que prestar contas à autora, que atua como uma espécie de gerente do tráfico. No entanto, ao contabilizar, elas constataram que faltava droga e não havia dinheiro suficiente para fazer o pagamento.

“Durante o dia todo, o agente colheu informações de que a autora estava sendo ameaçada pelo tráfico local e não poderia retornar ao bairro, pois ela cometeu o homicídio sem ‘consentimento’ e ainda tinha sumido com a arma do crime. Nós descobrimos que ela ia tentar fuga para a Bahia. Contamos com o apoio da PRF para montar pontos de bloqueio, bem como minha equipe se deslocou ao interior do Estado. Contudo, ela foi presa à noite, quando tentava embarcar em um ônibus para Eunápolis (BA)”, relatou a titular da DHPM, delegada Raffaella Aguiar.

Ainda na manhã do crime, outra suspeita, de 40 anos, foi presa e conduzida à DHPM. “Durante todo o dia, foram realizadas diligências no intuito de obter indícios palpáveis quanto ao envolvimento dela nos crimes. Entretanto, não foi possível neste primeiro momento. Porém, ficou constatado o envolvimento dela com o tráfico, o que gerou a autuação em flagrante pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas”, informou a delegada. 

As duas mulheres foram encaminhadas ao Sistema Prisional. As investigações continuam, a fim de apurar as circunstâncias e a autoria dos crimes em sua totalidade.

Texto: Camila Ferreira

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]

Atendimento à Imprensa:
Matheus Zardini / Camila Ferreira
(27) 3636-9928 / (27) 99297-8693 / (27) 99231-5157 

leia também:  Força Tática detém quatro pessoas com arma, drogas e munições em Vila Velha
Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma