conecte-se conosco


Internacional

Covid: OMS reconhece queda de novos casos na Europa, mas pede cautela

Publicado em

© REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados


A Organização Mundial da Saúde (OMS) comemorou nesta segunda-feira (30) a primeira queda, desde setembro, do número de novos casos de infecção pelo novo coronavírus na Europa, alertando, contudo, que “qualquer avanço pode ser rapidamente perdido” no combate à pandemia.

Em entrevista coletiva na sede da organização, em Genebra, o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, lembrou que na semana passada foi verificada uma redução de novos casos, sobretudo no Continente Europeu, “devido à eficácia de medidas difíceis, mas necessárias” de restrição à liberdade de movimento das populações.

Tedros Adhanom recomendou “extrema cautela” na análise desses resultados, lembrando que em outras regiões do mundo essa queda não foi verificada.

leia também:  Anticorpos contra covid-19 duram pelo menos sete meses, mostra estudo

Internacional

China diz que dez homens presos em mina de ouro procuram colegas


Os dez sobreviventes que estão presos em uma mina de ouro desde uma explosão no dia 10 de janeiro, no Norte da China, estão usando ponteiros de laser e alto-falantes para tentar encontrar seus colegas desaparecidos, informou a mídia estatal nesta sexta-feira (22).

A operação de resgate, que está conseguindo levar alimento e remédios aos mineiros, deve durar pelo menos mais duas semanas, segundo autoridades.

Garrafas brancas de comida e água enviadas aos trabalhadores presos continham uma nota dizendo “Estamos todos esperando por vocês, continuem!”, como mostraram fotos compartilhadas hoje com a Reuters por autoridades de departamentos de propaganda. 

Os alimentos enviados aos mineiros incluem mingau de milho moído, ovos de codorna, picles e linguiças, e os suprimentos médicos incluem desinfetante, máscaras e meias de algodão.

“A condição física, a condição psicológica e o ambiente de convívio de dez mineiros na seção intermediária da mina são boas”, disse o Diário do Povo, o jornal oficial do Partido Comunista.

No total, 22 trabalhadores ficaram presos na mina de Hushan após a explosão ocorrida em Qixia, uma grande região de produção de ouro administrada por Yantai, na província litorânea de Shandong.

leia também:  França é 4º país a ultrapassar marca de 10 mil mortes por coronavírus

Um morreu e 11 não estão em contato com as equipes de resgate, de acordo com reportagem dessa quinta-feira da Rádio Xinhua.

Ao menos 15 dias podem ser necessários para liberar os “bloqueios sérios”, enquanto os agentes de resgate continuam cavando poços para alcançar os dez trabalhadores, disseram autoridades.

Visualizar

MAIS LIDAS

error: O conteúdo está protegido !!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma