conecte-se conosco


Saúde

Covid–19: cresce a participação popular para paralisação das fábricas em São Gabriel da Palha

Publicado em

Foto: Pixabay

Com os pedidos para que a população não saia de suas casas, vários gabrielenses seguem fazendo postagens em suas redes sociais, pedindo a paralisação das atividades nas fábricas do município de São Gabriel, uma vez que a sociedade enfrenta a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Segundo os trabalhadores, a paralisação é essencial no sentido de minimizar os riscos a saúde, incluindo a de seus familiares, evitando ao máximo aglomerações e circulação de pessoas.

A população tem se manifestado nas redes sociais, e se mostraram preocupados com a situação.

“Não sei para que parar tudo e as fábricas continuarem funcionando, sendo que esses locais ocupam mais de 30% das pessoas que estão nas ruas em contato direto com as pessoas”, disse um.

“É impossível trabalhar dentro de uma fábrica sem estar encostando em algo ou tendo contato com outras pessoas. Será que já pensaram na possibilidade de alguma pessoa infectada dentro de uma fábrica dessa, o tamanho do problema que seria, para uma cidade do nosso tamanho?”, disse outro.

leia também:  Universidades terão incentivo para controlar obesidade

Até o momento São Gabriel da Palha segue sem  nenhum paciente com a doença na cidade. Tendo tido apenas um caso, já descartado.

Saúde

França colocará vítimas de violência doméstica em hotéis

.

O governo da França anunciou nesta segunda-feira (30) que pagará quartos de hotel para vítimas de violência doméstica e abrirá centros de aconselhamento após dados mostrarem que o número de casos de abuso subiu consideravelmente durante a primeira semana de quarentena para conter a propagação do coronavírus.

A ministra da Igualdade de Gêneros, Marlene Schiappa, disse que cerca de 20 novos centros serão abertos em lojas por todo o país para que mulheres procurem ajuda enquanto fazem suas compras.

O governo também anunciou uma verba extra de 1 milhão de euros para ajudar organizações de ajuda a vítimas de abuso doméstico para ajudá-las a responder ao aumento de demanda em seus serviços.

As medidas foram lançadas após o governo anunciar no final da semana passada que os abusos domésticos reportados à polícia subiram 36% em Paris e 32% no resto do país após a imposições de restrições. Os casos incluíram dois assassinatos.

A França começou quarentena nacional em 17 de março e continuará assim até 15 de abril. Ninguém tem permissão para sair de casa a não ser para comprar alimentos, remédios, ir ao médico, fazer exercícios ou caminhar com um animal de estimação.

leia também:  Vida saudável na terceira idade

Fonte: EBC Saúde

Visualizar

MAIS LIDAS DA SEMANA

error: O conteúdo está protegido !!