conecte-se conosco


Estado - ES1.com.br

Congresso divulga produção científica e tecnológica da pesquisa agropecuária no ES

Publicado em

Foto: Hélio Filho/Secom


Teve início nesta quarta-feira (17), o Congresso Capixaba de Pesquisa Agropecuária (CCPA) 2021, que vai promover a divulgação da produção científica e tecnológica dos 90 projetos do Edital de Pesquisa Aplicada a Políticas Públicas Estaduais Agropecuárias no Estado do Espírito Santo (PPAgro) 06/2015. A abertura do evento teve a presença do governador do Estado, Renato Casagrande. A programação segue até a próxima sexta-feira (19), pelo site do Congresso (https://eventos.congresse.me/ccpa2021).

O Congresso é dividido em painéis com dez temáticas diferentes: Cafeicultura; Produção Animal; Pipericultura (pimenta-do-reino); Silvicultura e Sistemas Integrados de Produção; Culturas Alimentares e Floricultura; Aquicultura e Pesca; Água, Solo e Agricultura de Baixo Carbono; Fruticultura; Fruticultura mamão; e Agroecologia e Agricultura Orgânica.

Durante a abertura do evento, que ocorreu de forma híbrida, o governador lembrou que o Espírito Santo foi o estado que mais investiu em educação e o terceiro que mais investiu em ciência, tecnologia e inovação durante a pandemia. “Num período em que tivemos que alocar muitos recursos para salvar vidas, não deixamos de cuidar de áreas importantes, podendo formar essa rede de pesquisa na área agropecuária”, observou.

Casagrande prosseguiu: “O Espírito Santo tem na agricultura uma de suas potencialidades. E a agricultura familiar tem sido fortalecida pelos nossos programas. A pesquisa agrega valor aos produtos, traz mais renda às famílias, gera mais empregos no campo e traz desenvolvimento ao nosso Estado. Sempre digo que queremos um Estado próspero e com menos desigualdade. E essa pesquisa na área agropecuária ajuda a manter os jovens no campo.”

O CPPA é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag); pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); e pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes); com o apoio de diversas instituições públicas e privadas. Entre os 90 projetos submetidos no Edital PPE-Agro, 32 foram executados pelo Incaper.

leia também:  Governador, secretários e dirigentes de órgãos fazem doação de cestas básicas em prol da campanha ServidorES Solidários

Na avaliação da diretora-presidente da Fapes, Cristina Engel, o Congresso tem o papel fundamental de apresentar o resultado dos 90 projetos que foram aprovados no edital. “É importante ressaltar que todos os projetos que chegaram até o final, tiveram resultados significativos e fazem parte de redes de pesquisas. São 22 redes de trabalho para as pesquisas executadas e essa é a forma mais inteligente, atualmente, de lidar com determinados temas. Assim há uma racionalização no recurso empregado e a melhoria dos resultados, porque se trabalha de uma forma multidisciplinar e interinstitucional”, pontuou.

Cristina Engel destacou ainda a integração entre todos os pesquisadores envolvidos no evento com a equipe de trabalho da Fundação. “A realização desse evento contou com trabalho conjunto entre a Seag, a Fapes e o Incaper, sendo de responsabilidade da Fundação a comunicação com os pesquisadores, aos quais nós gostaríamos muito de agradecer por toda a colaboração, que certamente é a chave para o sucesso do Congresso. Acredito que todos que se inscreverem ganharão muito conhecimento científico e inovativo, e participarão de excelentes debates nos três dias do CCPA”, afirmou.

“Um Estado com dimensões pequenas como o nosso é destaque nas reuniões em nível nacional, porque aqui nós temos o Governo do Estado que financia projetos de pesquisa para a agropecuária, a exemplo do CCPA. São 90 projetos com importantes resultados inovadores que o Incaper tem o comprometimento de levar para os agricultores, para atingir nosso principal objetivo, que é o desenvolvimento do meio rural”, declarou o diretor-presidente do Incaper, Antônio Machado.

O secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, lembrou que o CCPA está debatendo as principais cadeias produtivas capixabas. “Um evento como esse, em formato on-line, consegue atingir um público muito maior. Durante três dias, vários projetos voltados para a produção científica e tecnológica irão promover a integração entre pesquisadores, extensionistas, produtores rurais, profissionais liberais, empresários e estudantes que atuam na cadeia produtiva da agricultura, pecuária, silvicultura, aquicultura e pesca. Estou muito feliz em participar desse momento tão rico em informações”, frisou.

leia também:  Governo encaminha Projeto de Lei do Refis à Assembleia Legislativa

Mais sobre o CCPA

A programação completa do CCPA estará disponível no site do Congresso, com acesso mediante inscrição. O Congresso é dividido em três dias, sendo composto por 10 painéis com temas da agropecuária, além de três conferências e uma mesa redonda. Em cada painel serão apresentadas palestras gravadas pelos pesquisadores, de aproximadamente quinze minutos cada uma.

Serão disponibilizadas 63 palestras, além da programação do CCPA, que poderão ser assistidas durante os três dias do evento. Os vídeos das palestras estarão disponíveis das 18 horas às 9 horas da manhã do dia seguinte, na plataforma do evento, com objetivo de não causar um conflito com a programação diária do Congresso.

“Durante os painéis, o chat estará aberto e disponível para perguntas e comentários. Ao final da última palestra de cada painel, a sala será aberta para debate sobre os temas apresentados. Da mesma forma vão funcionar as conferências e a mesa redonda. Convidamos a todos a participarem”, informou Pedro Carvalho, coordenador de Silvicultura da Seag, idealizador e membro do comitê de organização do Congresso.

Também estiveram presentes na abertura do evento, o gerente de Relações Institucionais e Governamentais da Vale, José Lúcio; o subsecretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico, Denio Arantes Rebello; e a diretora técnica do Incaper, Sheila Posse.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo
Giovani Pagotto
(27) 98895-0843

Assessoria de Comunicação do Incaper
Andreia Ferreira / Tatiana Toniato Caus
(27) 3636-9868 / 9865 / 9866 / 9867
[email protected] / [email protected]

Assessoria de Comunicação da Seag
Vanessa Capucho
(27) 3636-3700 / 98860-6838
[email protected]

Assessoria de Comunicação da Fapes
Samantha Nepomuceno
(27) 3636-1867
[email protected]

Fonte: Governo ES

Estado - ES1.com.br

Nova etapa do Estudo Viana Vacinada oferta dose de reforço para os moradores


Foi lançado na manhã deste domingo (16), o Dia D da vacinação de reforço da população de Viana. Toda a população do município de 18 a 49 anos, mesmo que não tenha sido voluntária nas etapas anteriores do Projeto de Pesquisa Viana Vacinada está convidada para tomar a meia dose, como reforço em diferentes pontos da cidade, das 08 às 16 horas. O evento teve a presença do governador Renato Casagrande e do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

“A minha palavra aqui é sobre a importância da integração de todos os órgãos que participam dessa pesquisa, que produziu resultado no combate à Covid. Quem recebeu a meia dose pode ser que uma ou outra pessoa possa ter ficado desconfiada no início, mas todos confiaram nas palavras dos pesquisadores e no Governo do Estado. Enquanto alguns não confiam na ciência, a população de Viana confiou e participou efetivamente. Por isso, é importante concluirmos esse trabalho de imunização para que a gente possa continuar não perdendo nenhuma vida”, declarou o governador Casagrande.

Durante a coletiva de imprensa, a coordenadora científica do estudo e gerente de Atenção à Saúde do Hucam-Ufes/Ebserh, a médica Valéria Valim, fez uma apresentação com um resgate das etapas do estudo e os resultados já conquistados de comprovação científica de que a aplicação de meia dose da vacina AstraZeneca/Fiocruz tem efetividade contra o novo Coronavírus (Covid-19) semelhante à prescrição padrão.

“Comprovada a efetividade da aplicação da meia dose, os resultados serão enviados ao Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e à Fiocruz e poderão subsidiar as autoridades sanitárias do Brasil e do mundo para dobrar a capacidade de imunização com a vacina da Fiocruz. Sabemos que, em muitas regiões mais pobres do mundo, o alcance da vacinação tem sido mais limitado. Nos locais com mais acesso ao produto, a oferta de doses de reforço com meia dose também poderá ser aumentada”, observou a pesquisadora.

Neste início de ano, o time de pesquisadores irá estabelecer uma agenda de apresentação dos resultados do Viana Vacinada, tanto para a OMS como para diversos núcleos de pesquisadores e epidemiologistas no Brasil e também de outros países.

“Recebemos com orgulho da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a informação de que o Viana Vacinada é suficiente para reorientar a vacinação em escala global.  O estudo pode orientar estratégias de saúde pública tanto na adoção do esquema primário como também neste momento. Parabenizamos a todo o time de pesquisadores, ao município de Viana, ao Ministério da Saúde, a todos que se mobilizaram na construção desse estudo que terá relevância sanitária internacional para enfrentamento à pandemia da Covid-19”, afirmou o secretário da Saúde, Nésio Fernandes.

leia também:  Alunas da Rede Estadual participam de projeto computacional

Também participaram do evento a vice-governadora Jacqueline Moraes; o prefeito de Viana, Wanderson Bueno; o pesquisador do Instituto Renè Rachou, da Fiocruz Minas, Olindo Assis Martins Filho; o pesquisador Escola Nacional de Saúde Pública, da Fiocruz, Luiz Antônio Camacho; a representante da OPAS no Brasil, Socorro Gross Galiano; a coordenadora da OPAS e pesquisadora; Lely Guzman; e o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Krieger.

A continuação do monitoramento científico com o reforço vacinal teve autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A chancela foi dada diante dos resultados apresentados até agora, em que duas aplicações da metade da medida recomendada na bula da AstraZeneca/Fiocruz mostraram-se efetivas para prevenção de 70% de casos novos e nenhuma ocorrência de internação ou óbito, na população estudada.

Conforme os testes em voluntários, a meia dose foi capaz de induzir a produção de anticorpos neutralizantes em 99,8% dos participantes, resultado semelhante ao alcançado no esquema com dose padrão. Em pré-imunes, ou seja, pessoas que já tiveram a doença ou foram vacinadas anteriormente, uma meia dose foi suficiente para induzir altos títulos de anticorpos neutralizantes.

No grupo de pessoas que não tiveram Covid e nem haviam se vacinado antes, a meia dose foi capaz de induzir resposta mais robusta de biomarcadores de imunização (quimiocinas, citocinas e fatores de crescimento) que a prescrição na bula do produto da AstraZeneca. Nos pré-imunes, a produção desses marcadores foi semelhante nos dois grupos. Outra conclusão foi a de que a duração dos eventos adversos foi menor na meia dose que na cheia. Em geral, foram leves e em proporção de pessoas semelhante à da prescrição de fábrica. O estudo foi premiado no Congresso Brasileiro de Infectologia, em dezembro, em Goiânia.

leia também:  Seminário de acompanhamento e avaliação final de editais do PPSUS acontece na próxima semana

Depoimentos

A estudante de Medicina, Luana Passos, 21 anos, recebeu a dose de reforço durante o Dia D de mobilização neste domingo. “É um orgulho para nós moradores de Viana participar desse estudo. Talvez muita gente não tenha a dimensão de tudo o que aconteceu aqui. É um projeto de relevância internacional e toda a cidade está de parabéns! As pessoas entenderam a importância do estudo e participaram. Fico orgulhosa de ver nossas autoridades investindo na saúde da população”, disse.

A contadora Ana Paula Almeida, 40 anos, relatou que participou das duas etapas da meia dose. “Nesse momento em que vivemos uma situação complicada em relação ao Coronavírus e também a gripe é ainda mais importante aderir a dose de reforço”, comentou.

Enquanto a estudante de Direito, Lívia Santiago, 20 anos, lembrou que toda a sua família participou do estudo. “A adesão foi total, nós ficamos muito orgulhosos de ter um estudo dessa importância acontecendo em nossa cidade e eu sou muito grata por participar”, afirmou.

Viana Vacinada

A vacinação com meia dose em Viana aconteceu no dia 13 de junho de 2021 e alcançou 20.685 participantes, entre 18 e 49 anos. A segunda etapa de imunização foi no dia 8 de agosto. Do total de vacinados, 558 foram selecionados para serem monitorados com coleta de amostras sanguíneas para avaliação de respostas imune humoral (produção de anticorpos neutralizantes) e celular.

O projeto Viana Vacinada é coordenado pelo Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam-Ufes), que faz parte da rede Ebserh de hospitais federais, em parceria com a Fiocruz, patrocinado pelo Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi) da Secretaria da Saúde do Espírito Santo (Sesa), com o apoio da Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Ministério da Saúde e da Prefeitura Municipal de Viana.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo
Raphael Marques
(27) 98895-0843

Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Danielly Schulthais/ Ana Cláudia Santos
[email protected]

Assessoria de Comunicação do Hucam
Duilo Victor Ferreira Junior/George Magalhães
(27) 3335-7185
[email protected] 

Fonte: Governo ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!
Chat aberto
1
Precisa de nossa ajuda ?
Olá, nós do ES1 podemos te ajudar de alguma forma