conecte-se conosco


Economia - ES1.com.br

BNDES quer criar diretoria para facilitar crédito a microempresas

Publicado em

O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, declarou nesta quinta-feira, 08, que o banco pretende criar uma nova diretoria dentro da instituição para cuidar de um projeto a fim de eliminar a necessidade de intermediadores financeiros na concessão de crédito a micro e pequenas empresas. O projeto deve ser votado na próxima terça-feira, 13.
“Semana que vem, vai ser aprovada a nova diretoria do chamado banco digital dentro do BNDES. Esse banco digital é a fintech BNDES, que vai criar uma plataforma para fazer o fornecedor vender direto ao seu cliente”, disse Rabello, que foi o principal convidado de um almoço-debate do Grupo de Lideranças Empresariais (Lide).
“Espero que, com isso, se reduza drasticamente o spread final. Segundo nossas contas, dependendo do risco do cliente, poderemos trabalhar com taxas anuais inferiores a 12% nessa nova fintech”, disse Rabello, lembrando que esse segmento é um dos que o BNDES ainda não consegue chegar. “Hoje, o Brasil conta com cerca de 4 milhões apenas de microempresas, e nós ainda estamos penando para chegar ao primeiro milhão”, disse.

leia também:  Petrobras reajusta preços da gasolina e diesel para as distribuidoras

Painel Político

Economia - ES1.com.br

Postos anunciarão preço de combustível válido antes da redução do ICMS

A partir desta quinta-feira (7), os postos de combustíveis de todo país estão obrigados a divulgar, de forma “correta, clara, precisa, ostensiva e legível”, os preços dos combustíveis que eram cobrados, em cada empresa, no dia 22 de junho de 2022, “de modo que os consumidores possam compará-los com os preços praticados no momento da compra”.

A determinação, com vigência até 31 de dezembro de 2022, consta do decreto nº 11.121, publicado no Diário Oficial da União de hoje.

Com a medida, o governo pretende possibilitar ao consumidor comparar o preço atual com o que era cobrado antes de vigorar a lei que não permite às unidades federativas cobrar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com percentual acima da alíquota de 17% ou 18%, dependendo da localidade. A lei foi sancionada no dia 24 de junho.

O decreto publicado hoje destaca,  ainda, que os donos dos postos deverão informar também, em separado, o valor aproximado relativo ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS); o valor relativo à Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep); e à Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – Cofins; e, ainda, o valor relativo à Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e a comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e seus derivados, e álcool etílico combustível (Cide-combustíveis).

leia também:  Projeção de crescimento da economia em 2019 cai pela 13º vez seguida

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Economia

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2