conecte-se conosco


Saúde - ES1.com.br

Barbeiros transmissores de doença de Chagas são encontrados no ES

Publicado em

Nestes primeiros três meses de 2018, quatorze insetos conhecidos como barbeiro contaminados com o protozoário causador da doença de Chagas foram encontrados em Venda Nova do Imigrante, no Sul do Espírito Santo. A doença é grave e não tem cura, mas tem tratamento se for descoberta logo.
O causador da doença de Chagas é o protozoário Trypanosoma cruzi, que é parasita do barbeiro. O Espírito Santo registrou um caso da enfermidade no ano passado.
Em Venda Nova, de janeiro a março já foram encontrados 30 insetos, mas 16 não estavam contaminados. “É importante se manter alerta, observar se eles estão na região domiciliar. A preocupação é que não se encontre uma colônia dentro de casa. Um sozinho não é motivo para preocupação”, explicou a coordenadora da Vigilância Sanitária da cidade, Camila Zandonadi.
Os barbeiros costumam ficar escondidos em regiões de mata, mas à noite, se estiverem perto das cidades, são atraídos pelas luzes e podem ficar escondidos em áreas urbanas.
O bombeiro Guilherme Perim já encontrou três na casa dele. Dois estavam no quintal e um estava andando sobre uma das camas. Ele capturou os insetos e levou para a Secretaria Municipal de Saúde.
“Falaram que não estavam contaminados, e isso já deixou a gente um pouco aliviado”, falou o bombeiro.
A orientação da Vigilância Sanitária é capturar os insetos, colocar em um pote de plástico com um furo para que eles possam respirar e levar para a Secretaria de Saúde, para que sejam analisados em laboratório. O resultado do exame é sempre passado para o morador, segundo Camila Zandonadi. Quando são encontrados ninhos de barbeiro, a prefeitura providencia a dedetização.

leia também:  InfoGripe aponta tendência de crescimento nos casos de SRAG no país

G1

Saúde - ES1.com.br

Covid-19: Brasil registra 122 mortes e 45,5 mil casos em 24 horas

O Brasil registrou, desde o início da pandemia de covid-19, 672.033 mortes pela doença, informa o boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (4) pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença está em 32.535.923.

Em 24 horas, foram registrados 45.501 casos. No mesmo período, foram confirmadas 122 mortes de vítimas do vírus.

Ainda segundo o boletim, 30.967.114 pessoas se recuperaram da doença e 896.776 casos estão em acompanhamento. No levantamento de hoje, não consta atualização dos dados de Mato Grosso do Sul.

Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras ou nos dias seguintes aos feriados pot causa da redução de equipes que alimentam os dados sobre a doença. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral, há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico – 04/07/2022/Divulgação/ Ministério da Saúde

Estados

De acordo com os dados disponíveis, São Paulo lidera o número de casos, com 5,74 milhões, seguido por Minas Gerais (3,65 milhões) e Paraná (2,63 milhões).

leia também:  Pessoas diurnas têm menor risco de ter câncer de mama, aponta estudo

O menor número de casos é registrado no Acre (127,1 mil). Em seguida, aparecem Amapá (161,8 mil) e Roraima (161,9 mil).

O estado de São Paulo é o que apresenta o maior número de mortes pela doença (171.072), seguido pelo Rio de Janeiro (74.183) e por Minas Gerais (62.197).

O Acre é o que registra o menor número de mortes (2.005), seguido por Amapá (2.141) e Roraima (2.153).

Vacinação

Até hoje, foram aplicadas 450,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 177,4 milhões com a primeira dose e 157,7 milhões com a segunda dose. A dose única foi aplicada em 4,9 milhões de pessoas e 95 milhões já receberam a dose de reforço.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

novo cartaz apae2