conecte-se conosco


Economia - ES1.com.br

Banco recruta 1.200 estudantes e todos os cursos são aceitos

Publicado em

camera_enhance Os selecionados trabalham durante quatro horas por dia ao longo de quatro meses em alguma PME cliente do banco e recebem bolsa auxílio de 882 reais. (Crédito: divulgação)

Neste ano, o Santander vai recrutar 1,2 mil estudantes universitários para o estágio nas pequenas e médias empresas clientes do banco em todo Brasil.
Chamada de Programa Universitário Empresas, a iniciativa começou em 2015 em parceria com o braço educacional do banco, o Santander Universidades, e é aberta a estudantes de todos os cursos de graduação. O objetivo é dar uma oportunidade de começo de carreira para jovens de todo país.
Esse é o programa com maior procura pelos jovens. Segundo diretor do Santander Universidades, Ronaldo Rondinelli, no ano passado foram 1,1 mil estudantes recrutados e 40% acabaram sendo efetivados nas empresas participantes do programa.
Os selecionados trabalham durante quatro horas por dia ao longo de quatro meses em alguma PME cliente do banco e recebem bolsa auxílio de 882 reais.
As oportunidades estão disponíveis no aplicativo Santander Universitário (Disponível iOS  e Android ). Não é preciso ser correntista do banco para baixar o aplicativo e ter acesso às vagas.
No aplicativo também é possível verificar informações sobre os programas de bolsas de estudos oferecidos pelo Santander Universidades.

leia também:  Volta às aulas deve aquecer comércio em Vila Valério e São Gabriel

 

Exame

Economia - ES1.com.br

Receita alerta para golpe do falso IOF antecipado via Pix

Cobrado sobre operações de crédito e de câmbio, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) está sendo usado por criminosos para enganar tomadores de empréstimos. A Receita Federal emitiu um alerta sobre estelionatários que se passam por supostas empresas para condicionar a liberação do crédito ao pagamento antecipado de IOF via Pix.

Segundo o Fisco, os fraudadores fornecem documentos falsos de notificação e de arrecadação que induzem o cidadão a recolher taxas inexistentes para a liberação do dinheiro. A vítima repassa o suposto IOF por meio de transferências Pix para pessoas físicas.

Boleto usado no golpe condiciona transferência de empréstimo a pagamento adiantado de IOF por Pix – Divulgação/Receita Federal

Em comunicado, a Receita Federal informa que jamais fornece dados para recolhimento de tributos ou de taxas via transferência. Segundo o órgão, os servidores do Fisco não prestam serviços de empréstimo à população nem entram em contato para cobrar pagamentos.

Embora alguns tributos possam ser pagos via Pix, a Receita esclarece que o IOF só pode ser quitado por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), pago pela instituição que concede o empréstimo, não pelo tomador. Caso desconfie ser vítima de um golpe, a Receita Federal orienta que o cidadão procure imediatamente a polícia, munido de todas as provas possíveis, e registre um boletim de ocorrência.

leia também:  Vice-presidente diz que adesão do Brasil à OCDE é prioridade

 

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Economia

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!