conecte-se conosco


Ananias F. Santiago - ES1.com.br

ATÉ QUANDO VOCÊ IRÁ TRABALHAR PARA REALIZAR OS SONHOS DE OUTRA PESSOA?

Publicado em

Todos os dias a grande maioria das pessoas acordam cedo, geralmente muito cedo, e partem para uma batalha que por vezes de tão quotidiana, torna-se automática, passando seus grandes detalhes despercebidos por nós mesmos. Tão grande o costume naquela rotina que já nem raciocinamos para fazê-lo.

Contudo há de se notar que boa parte das pessoas não estão satisfeitas com o que fazem, nem com o quanto ganham. Não estão, em suma, felizes. Esta estagnação, e automatização das tarefas a longo prazo, causa um descontentamento crônico que vai se estendendo a tudo na vida.

O fato que não se trata de ambição em querer muito, ou sempre mais. A nossa natureza é de se satisfazer com pequenas vitórias que irão alcançando e mantendo a famigerada felicidade. E então chegamos ao cerne da questão, e neste ponto eu te pergunto; quantos sonhos seus, você tem deixado para trás por estar ocupado demais realizando os de outra pessoa? O que você fez hoje que te deixou mais perto dos seus objetivos?

leia também:  O SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO

Duas perguntas relativamente simples, mas que nem sempre temos na ponta da língua as respostas, mas deveríamos. Ora, se temos sonhos, se temos objetivos, lutemos por eles. Não emprestemos esforços somente aos sonhos alheios, se o sonho do seu chefe, do seu empregador, do seu sócio é faturar mais, é fazer a empresa crescer, ótimo, colabore, mas não torne missão de vida àquilo que não é o seu sonho, não abandone seus objetivos.

Às vezes a felicidade está às portas, só precisamos insistir um pouco mais, às vezes a vitória está às vésperas, só precisamos aguentar mais um dia, às vezes o objetivo está perto só precisamos seguir mais um pouco. Destarte, ouso afirmar, a dor é passageira, o sofrimento é opcional, agora os resultados meus caros, a felicidade da vitória, essa é eterna, e toda vez que se lembrares de suas vitórias, ao menos por um instante, naquele instante, sentirás a felicidade.

 

Ananias Ferreira Santiago
OAB/ES 29.206

Ananias F. Santiago - ES1.com.br

Tchau querida

A expressão é conhecida, aliás já virou jargão, repetida como um mantra. Mas o tchau aqui é mais profundo do que uma mera expressão, não é dirigido a uma pessoa ou a um partido político, tampouco à direita, esquerda ou qualquer tipo de classificação política. Aqui o tchau é a um modo de agir, a uma maneira de pensar, a uma cultura nefasta.

A nação brasileira há tempos vem demonstrando uma insatisfação contra uma cultura de atraso que tem se abatido sobre ela há décadas, e isso não diz respeito a partido ou a lado político, isso diz respeito ao modus operandi, isto é, a maneira de agir e de governar que até então era quase que padrão pelos nossos “representantes”.

O povo vem dizendo não a corrupção, não aos privilégios, não a impunidade já há algum tempo. Porém desta vez é diferente, desta vez a voz foi firme, uníssona e veemente. Um grito… Ou melhor, um brado de protesto. Mas não daquele protesto de se opor e não lutar, de falar e não fazer. O povo saiu às ruas, o povo pediu justiça o povo se cansou de mais do mesmo.

leia também:  SOMOS COMO UM LÁPIS

Nunca antes no passado recente se viu tanta gente se importando com os rumos da nação. Os jovens… Há os jovens, esses sim, saíram do conforto da alienação para discutir bravamente qual rumo tomaremos, ainda que de seus caros iphones, ainda que pelo conforto da internet. Mas discutiram, argumentaram, apontaram o que queriam, e isso faz diferença.

O Tchau aqui simboliza muito, simboliza um adeus a cultura da alienação, simboliza que a grande maioria está antenado no que ocorre no país, e melhor, está disposto a argumentar e lutar para ver melhorar, para ver mudanças.

Uma nação cujo povo tem opinião e faz questão de externá-la e defendê-la, jamais ficará refém de um Estado agigantado, jamais se submeterá a uma desgovernança.  O tchau é um adeus, o tchau é um encontro com nosso futuro, o tchau é um novo Brasil.

 

Ananias Ferreira Santiago
OAB/ES 29.206

Visualizar
error: Conteúdo protegido!!