conecte-se conosco


Policial - ES1.com.br

24 novas viaturas para a Polícia Civil

Publicado em

Foram entregues 24 novas viaturas para a Polícia Civil, nesta quarta-feira (28), durante solenidade realizada no Palácio Anchieta, em Vitória. Dessas, 20 são do tipo sedan, do modelo Ford Ka, e quatro, caminhonetes L200. Os veículos foram adquiridos com recursos do Fundo de Reequipamento da Polícia Civil (Funrepoci) e o valor do investimento foi de R$ 1.579.600,00.

O evento contou com a presença do governador Paulo Hartung, do secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia, do chefe da Polícia Civil, delegado Guilherme Daré, e de outras autoridades.

O secretário André Garcia confirmou os investimentos programados para 2018 para fortalecer e reestruturar a Polícia Civil. 

“Essas viaturas que estão sendo entregues aqui serão distribuídas em todo o Espírito Santo. Serão 275 novos veículos para a Polícia Civil ao longo de 2018. O que estamos presenciando aqui é colher frutos porque nos organizamos. Isso foi possível porque organizamos as contas e cuidamos das pessoas. Tem muita coisa boa que vem pela frente, porque tivemos cuidado e respeito com o dinheiro dos capixabas”, destacou André Garcia. 

leia também:  Empresário é assaltado e tem quase R$ 6 mil levados por criminosos em São Gabriel

Durante a solenidade, o chefe de Polícia enfatizou a importância de se garantir a mobilidade dos policiais para o atendimento da população. 

“A Polícia Civil possui um papel investigativo, por isso precisa ter condições de se movimentar com agilidade e segurança. Essa entrega demonstra conhecimento e respeito pelo nosso trabalho. Agradecemos ao Governo do Estado por esse investimento muito importante que vai contribuir para melhorar ainda mais a prestação dos nossos serviços à sociedade”, afirmou.

As caminhonetes L200 foram adaptadas paras as atividades da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Também foram adquiridos e serão entregues no próximo mês cinco veículos com tração quatro por quatro, do tipo Jeep, Renegade, e que serão distribuídos para as delegacias da Região Serrana. Segundo o chefe de polícia o objetivo é dar condições aos policiais se deslocarem por toda a região independente das condições de acesso. 

As novas viaturas possuem ar condicionado, direção elétrica, bancos de couro e foram totalmente adaptadas para a atividade policial, sendo equipadas com giroflex embutido, sirene e strobo. Os veículos possuem três anos de garantia de manutenção por conta do fornecedor e estão incluídas as revisões de manual, peças e mão de obra.

leia também:  Polícia Civil e Polícia Militar apreendem 16 máquinas caça níqueis em bares de São Gabriel

No total foram adquiridas 54 viaturas com recursos do Fundo de Reequipamento da Polícia Civil (Funrepoci), totalizando um investimento de R$ 3.339.600,00. Dessas, 45 são viaturas descaracterizadas, sendo que 25 já foram entregues em 2017. Enquanto nove são viaturas caracterizadas: quatro caminhonetes L200, entregues nesta quarta; e cinco Jeeps Renegades, que serão entregues até o mês de maio. Cada Jeep custou R$ 88.000,00.

 

Secom-ES

Policial - ES1.com.br

Polícia Civil de Jaguaré e Vila Valério prende seis pessoas que causaram prejuízo de mais de um milhão de reais a uma cooperativa

Policiais civis das Delegacias de Polícia de Jaguaré e Vila Valério prenderam seis pessoas suspeitas de integrarem uma organização criminosa especializada em estelionato. As prisões ocorreram entre os dias 06 e 24 de junho deste ano, nos municípios de Jaguaré e Vila Valério, no norte do Estado, e na cidade de Santa Cruz de Cabrália, na Bahia.

As investigações apontam que eles causaram o prejuízo estimado de mais de um milhão de reais na Cooperativa Cooabriel, em Jaguaré. De acordo com a titular das delegacias, delegada Gabriella Zaché, as investigações tiveram início após a prisão em flagrante de três indivíduos no dia 06 de junho, ocasião em que eles, apresentando documentos falsos, tentaram se passar por cooperados para comprar café e assim realizar mais um golpe na cooperativa.

“Como eles tinham ido na semana anterior, a cooperativa achou estranho eles estarem lá novamente vendendo uma quantidade muito grande, sendo o valor depositado na conta de uma pessoa que estava junto deles. Diante da estranheza, a cooperativa acionou a Polícia Civil que foi até lá e percebeu que eles estavam com documentos falsos”, detalhou a delegada.

A partir da prisão desses suspeitos em flagrante, foi identificada a pessoa que falsificava os documentos, que seria funcionário da cooperativa. Ele trabalhava como auxiliar administrativo e repassava as informações de cooperados para que os indivíduos falsificassem esses documentos e fizessem a venda. Um sexto suspeito que tinha o papel de intermediar todas as outras pessoas que faziam parte dessa organização criminosa também foi identificado.

leia também:  Polícia Civil prende suspeitos de manter família em cárcere privado em Cariacica

Após a identificação dos indivíduos, foram expedidos mandados de prisão contra essas pessoas, sendo estes mandados cumpridos todos neste mês de junho.

O suspeito de intermediar as negociações foi preso no dia 14, em Vila Valério; o indivíduo que falsificava esses os documentos foi preso no dia 15, em Santa Cruz de Cabrália, na Bahia; já o funcionário da cooperativa foi preso no dia 24, também em Vila Valério.

Antes de serem presos, os integrantes do grupo praticaram esse golpe cinco vezes na coorporativa, entre os meses de maio e junho deste ano, ocasionando um prejuízo de mais de um milhão e duzentos mil reais.

“A cooperativa funciona da seguinte forma: eles guardam café no local e quem tem o café armazenado lá pode ir à coorporativa, de tempos em tempos, armazenar e vender os grãos. Então, essa associação criminosa falsificava os documentos, se passando por cooperados e, assim, faziam a compra do café, recebendo o pagamento em conta bancária. A partir do momento que tinham em mãos esse dinheiro eles dividiam o valor entre os integrantes da associação criminosa”, informou a delegada Gabriella Zaché.

leia também:  Polícia Civil e Polícia Militar apreendem 16 máquinas caça níqueis em bares de São Gabriel

A delegada destacou ainda que o funcionário da cooperativa trabalhava em Vila Valério e eles realizaram o golpe em Jaguaré, como forma de ninguém desconfiar. Os criminosos usavam os dados de cooperados que estavam há muito tempo sem movimentar os cafés, para não gerar suspeita.

As investigações mostraram ainda que havia integrantes desta organização criminosa que estavam envolvidos em outros crimes no norte do Estado.

“Dois deles têm várias ocorrências informando que eles estavam vendendo colchões magnéticos e não entregavam. Várias pessoas caíram nesse golpe”, destacou a delegada.

Durante a operação foram apreendidos dois carros, dois celulares e os documentos falsos utilizados por eles. A delegada-geral adjunta, Denise Maria Carvalho, destacou o trabalho realizado pela delegacia de Jaguaré no combate a crimes na região.

“Nos últimos meses a delegacia de Jaguaré tem sido muito atuante no combate de crimes contra o patrimônio e crimes contra a vida. Isso resultou na diminuição dos nossos indicadores de violência na região, inclusive, com a diminuição do índice de homicídio em 50%”, disse.

Texto: Victória Meireles, estagiária da Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi). 

 

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
[email protected]
 

Informações à Imprensa:

Matheus Zardini / Olga Samara  

(27) 3636-1574 / (27) 99297-8693 / (27) 3636-1536 / (27) 99846-1111

Fonte: Polícia Civil ES

Visualizar

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!!